terça-feira, 4 de setembro de 2012

18 livros e 300 milhões de cópias vendidas


Quem gosta pelo menos um pouquinho de livros (e mesmo quem não gosta), com certeza já ouviu falar do Sidney Sheldon, o mestre do suspense. O autor era tão bom e o seu estilo tão amado e copiado, que mesmo após a sua morte, que aconteceu em 2007, livros com o seu nome foram lançados em forma de continuações de obras suas.

Sidney Sheldon, o homem mais traduzido do mundo

Para vocês terem noção de como o cara era sensacional, em vida Sidney Shledon publicou 18 romances e todos (!) alcançaram a lista de mais vendidos do jornal The New York Times. Foram mais de 300 milhões de cópias vendidas traduzidas para 51 idiomas em 180 países. Também escreveu 250 roteiros para televisão, 25 filmes e seis peças para a Broadway. “Só”. Bom, ele viveu 90 anos, deu tempo de fazer tudo isso. O Guinness, livro dos recordes, deu a ele o título de “o escritor mais traduzido do mundo”.

Confesso que só li três livros do Sidney Sheldon, sendo um deles “pós morte”: Se Houver Amanhã, As Areias do Tempo e A Senhora do Jogo. Queria ter lido outros. Alguém aí tem para me emprestar? Prometo que devolvo.


Então, o livro Se Houver a Manhã conta a história de Tracy Whitney, uma moça que tinha tudo o que sempre quis. Era bonita, bem sucedida e noiva de um dos homens mais cobiçados da cidade. Mas, após a morte da sua mãe, sua linda vidinha perfeita e bem organizada virou de ponta cabeça. Enganada e atirada numa rede de mentiras da qual não fazia parte, Tracy é condenada pela justiça e passa quinze anos presa. Enquanto está cumprindo pena, se encontra sozinha, sem família, sem amigos e sem noivo. O sentimento de vingança passa a tomar conta da sua mente e do seu coração.

Depois de sair da prisão, sem nenhuma expectativa de vida, Tracy se vê obrigada a recorrer a pequenos golpes e furtos para conseguir sobreviver. Acaba se descobrindo boa na malandragem e passa a gostar da nova “profissão”. Mas ela é um pouco Robin Hood, só rouba de pessoas ruins, que a fizeram mal e/ou que ganham a vida de forma desonesta. A cada novo golpe, ela é mais ousada, procurando objetos e artigos inatingíveis ao redor do mundo. Enquanto isso, o investigador da polícia Daniel Cooper persegue a moça, que sempre escapa no último segundo. Claro que o livro é BEM mentiroso, mas é divertido.

Capas antigas dos livros do Sidney Sheldon

Os problemas de Tracy começam a surgir quando o ladrão de luxo Jeff Stevens cruza o seu caminho. Muitas vezes, os dois são contratados por alguém para roubar os mesmos objetos e é toda aquela história de amor e ódio. Eles se detestam, brigam, gritam, mas no fundo se completam, se amam e acabam trabalhando em equipe. Na minha imaginação, Jeff é um gostoso lindo. Aquele homem charmoso, de fala mansa, um sedutor nato.

Como todo livro do Sidney Sheldon, Se Houver Amanhã é envolvente e vai deixando o leitor curioso. É o tipo que vai agradar homens, mulheres, adolescentes, adultos, enfim todo mundo. Bom, há motivos para o autor ter vendido mais de 300 milhões de cópias mundo afora, né?

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário