quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Improvavelmente espetacular


Cansado de ver filmes blockbusters americanos que sempre parecem iguais? Mulheres bonitas, coisas explodindo e milhões de efeitos especiais? Dou a dica para você assistir Amigos Improváveis (Que muita gente também tem chamado de Os Intocáveis, então é possível encontrar o filme com esses dois nomes). 


O filme francês, baseado numa história real, é uma comédia dramática que deixa você com um sorriso no rosto após o fim. É daquele gênero que mostra que ainda há gente leal, de confiança e otimista no mundo.

Philippe (O excelente François Cluzet, que me lembra muito o Dustin Hoffman) é um milionário tetraplégico que está procurando alguém para cuidar dele em tempo integral. Driss (O também mais que excelente Omar Sy) é um rapaz senegalês de periferia, recém-saído da prisão, que vai a entrevistas de emprego apenas para poder receber o seguro desemprego. Ele vai até a casa de Philippe para um processo seletivo. Entre todos os candidatos, o rapaz é o mais despreparado e aparentemente mais inadequado para o serviço. Mas, por ser totalmente fora dos padrões, Philippe gosta de Driss e o contrata para ser um tipo de babá.

Driss e Philippe fazendo jogging com a cadeira turbinada.

Surge daí, como o próprio nome do filme diz, uma amizade improvável. Um homem de meia idade, totalmente culto, riquíssimo e doente e um jovem saudável, com pouca instrução, ex-presidiário e extremamente de bem com a vida.

Há cenas impagáveis, como quando eles estão numa galeria de arte. Philippe quer comprar um quadro por 33 mil euros e Driss afirma que a obra parece o sangue do nariz do pintor que escorreu na tela. Ou quando eles vão até a ópera e Driss tem um acesso de riso porque achou aquilo tudo ridículo.

O quadro que parece sangue de nariz espirrado.

Quando perguntado o motivo de ter contratado alguém como Driss, Philippe explica que o rapaz não sente compaixão por ele e é exatamente isso que ele quer.  Apesar de cuidar do patrão com todo cuidado e zelo que um tetraplégico precisa, Driss o trata de igual para igual e constantemente conta piadas sobre paralíticos e manda Philippe levantar e pegar algo que deseja. Chega a ser quase politicamente incorreto, mas Philippe adora aquilo. Um muda a vida do outro de maneira espetacular.

Omar Sy tem um sorriso daqueles que poucas pessoas no mundo têm. É enorme, certinho, branco e cheio de dentes, mas, principalmente, é cativante e verdadeiro. Faz com que todos ao seu redor sorriam. François Cluzet atua de um modo que faz com que o espectador não sinta pena da sua condição, mas que perceba que, apesar de tudo, ele é feliz e ainda tem prazer em coisas simples. 

Os dois estão constantemente rindo e isso é o sensacional do filme.

Os dois protagonistas e o filme deveriam concorrer ao Oscar. Pena que ele não é o escolhido da França para participar como Melhor Filme Estrangeiro em 2013 porque não foi exibido na data necessária.

Amigos Improváveis/Os Intocáveis foi baseado no livro autobiográfico “Le Second Soufflé”, escrito por Philippe Pozzo di Borgo. É o longa metragem francês mais assistido e mais rentável da história cinematográfica do país. O interessante é que o dinheiro arrecado com a venda dos direitos de adaptação do livro foram doados a uma associação de ajuda a portadores de deficiência.

Recomendo MUITO.

Teca Machado

4 comentários:

  1. Achei bacana o tema do filme, me interessei! Obrigado pelo review teca!

    ResponderExcluir
  2. Tá na lista dos meus melhores filmes do ano! Lindo, lindo... E aqui em São Paulo os cartazes estão como Os Intocáveis mesmo. Vai entender. hihi ;*

    ResponderExcluir
  3. Valeu, Marcela!
    Vou assistir com enorme prazer!
    João Negrão

    ResponderExcluir
  4. O melhor filme que assisti este ano. Genial, genial!
    É a prova que a sétima arte está sempre se reinventando.
    E os dois, com certeza, mereciam o Oscar ( mesmo já tendo levado o César, que é o Oscar francês).
    Tecão, grande bola dentro!

    ResponderExcluir