sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Glee: Ame ou Odeie

Você pode até pensar que comentar os meus livros/filmes preferidosseja facílimo. Mas, na verdade, eu acho difícil. Quando você gosta demais, é complicado, pois é preciso medir todas as palavras. Quero falar muito bem para que os leitores entendam a dimensão de como é bom, mas também não posso fechar meus olhos para os defeitos. É como quando a gente está apaixonado: Fica cego e só enxerga o lado bom. E foi por isso que eu demorei tanto para escrever sobre Glee, uma das minhas séries preferidas.




Bom, acho que todo mundo sabe a premissa do seriado, certo? Adolescentes no tão cruel ensino médio americano. Glee é o nome do clube do coral, que entre as tantas atividades extracurriculares, é uma das mais zoadas. Quem participa são os chamados underdogs, azarados, perdedores, totalmente losers, a escória da escola.

No caso do Glee chamado New Directions, do colégio do seriado, é pior ainda. De uma cidadezinha do interior de Ohio, EUA, lá ainda é tudo muito engessado e com preconceitos.Além disso, o clube nunca ganhou prêmios e os participantes são odiados. Tem um cadeirante, uma negra quase obesa, uma judia chata, um gay afeminado, uma japonesa gaga e outras figuras do tipo. Mas, com o grupo ganhando um novo professor, Will Schuester (Matthew Morrison), garotos mais populares, como o quarterback do time de futebol americano e as líderes de torcida, se inscrevem para participar. E eles, ao invés de elevarem o status do Glee, acabam baixando o próprio, o que os torna tão patéticos quanto os outros.



Glee tem toda uma pegada politicamente correta que, sinceramente, de vez em quando chega a ser até exagerada. Falam sobre temas comuns ao gênero, como bullying, amizade, amor, sexo na adolescência, gravidez, tolerância racial, de gênero, de orientação sexual, o que fazer da vida e muito mais.

Mas, a graça do Glee são as músicas. Como é um grupo de coral, é óbvio que eles cantam. E cantam MUITO. E sempre versões de músicas de ícones, como Michael Jackson, Kate Perry, Queen, Britney Spears, Madonna, Beyonce e Aerosmith, e de outros bem menos conhecidos, mas tão bons quanto. Algumas das gravações ficam até melhores do que as originais. E eu, como uma boa viciada, tenho TODAS as músicas de todas as três temporadas (A Louca!).


 Formação original do Glee na primeira temporada


As apresentações deles são muito bonitas, cheias de dança, cores e movimentos. O instrumental e vocal são lindos. Você pode até não gostar da série, mas garanto que das músicas vai gostar.

Glee é muito bem feitinha, afinal, é do Ryan Murphy, um perfeccionista. E o elenco também foi muito bem escolhido. São atores quase desconhecidos, alguns que faziam Broadway, e que cantam loucamente bem. Dá gosto de assistir.


Quando apresentaram Thriller e Heads Will Roll.

 
O legal é que de Glee surgiu o The Glee Project, um reality show que já teve duas temporadas. Mostra o processo de seleção de um novo ator para participar da série por alguns episódios.

Enfim, Glee é completamente adolescente, mas eu adoro (E conheço muita gente que concorda comigo). Só que eu sei que tem muita gente que odeia também. Bom, vai do gosto de cada um.



 
Já foram três temporadas e nos EUA já começou a quarta. Estou louca para assistir!

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário