sábado, 22 de setembro de 2012

Encantadora e irritantemente feliz


Quem me conhece bem sabe que eu tenho o que chamo de “síndrome de Princesa”. Desde que nasci meu pai me falou que eu sou uma e acabei acreditando. Tanto que na minha formatura de 3º ano do ensino médio eu usei uma coroa. Mas era bem pequenininha, não daquelas estilo Lady Di. Podem sentir vergonha alheia por mim, eu deixo, tá? Haha. Se eu me acho A princesa do mundo da imaginação, nada mais natural do que eu adorar contos de fadas. Se for um de comédia, então, melhor ainda. Esse é o caso de Encantada, da Disney.




O que eu mais gosto de Encantada é o fato de ser desenho e filme ao mesmo tempo, tudo num pacote só. Giselle, uma doce, ingênua e cantante camponesa, vive em Andalásia, um lindo reino mágico do mundo do desenho. Ao ser perseguida por um ogro, encontra Edward, seu príncipe encantado. E depois de um dueto de amor sem fim, eles resolvem se casar. O problema é que a Rainha, madrasta de Edward, não gosta disso e manda a futura princesa para um lugar sem felizes para sempre: a realidade, personificada pela louca, caótica e brutal Nova York do século XXI . Edward, ao descobrir o desaparecimento da amada, a segue.

Giselle do desenho...

... Giselle do mundo real

A Giselle do mundo real (Interpretada com muita doçura por Amy Adams) toma um choque ao perceber que nem todos têm um coração bom ou estão dispostos a ajudar. Até que encontra Robert (O McDreamy Patrick Dempsey) e sua filha. Robert é totalmente o oposto de Giselle. Advogado especializado em divórcios, ele não acredita no amor verdadeiro, mas na convivência pacífica entre duas pessoas com interesses comuns. Romântico, né?

Enquanto Edward (James Marsden, num papel retardado e lindo) procura pela amada princesa por toda Manhattan, Giselle, que é irritantemente alegre, sai cantando por aí. As cenas de música do filme são lindas! Em especial a que uma multidão a acompanha no Central Park. É engraçado quando ela convoca os animais da floresta para a ajudarem na limpeza, mas os únicos bichos da cidade são baratas, pombas e ratos.

Príncipe Edward com a sua típica cara de bobo.

Vale ressaltar que Susan Sarandon está se divertindo como nunca no papel da Rainha Má. Ela está ótima (Mas, me digam, alguma vez ela não esteve ótima?).

Encantada, apesar da premissa criança e de menina, é para todas as idades e sexos. É engraçado, doce e com um pouco de ação e efeitos especiais. É aquele tipo de filme que sempre que está passando na televisão, vejo de novo. E olha que já assisti no mínimo umas 10 vezes.

Giselle e Robert

Nunca ouvi ninguém falando que não gosta do filme. Não posso dizer quem, mas tem homens adultos que eu conheço que A-D-O-R-A-M e compraram o DVD, haha.

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário