terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Fique Comigo, o mais novo livro do meu querido Harlan Coben


Harlan Coben, um dos meus musos livrísticos ataca novamente. Terminei de ler ontem o seu livro mais recente, Fique Comigo, e falei a mesma frase de sempre ao ler a última página das obras dele: AI, MEU DEUS, QUE LIVRO SENSACIONAL! Harlan Coben, com esse nome engraçado e uma carequinha que dá vontade de passar a mão, é com certeza um dos melhores autores de atualidade no gênero do suspense policial.


Em Fique Comigo o tema central são os erros do passado. Todo mundo tem uma história, é verdade, mas ficar cutucando o que deveria ficar enterrado pode trazer consequências arrasadoras. A obra tem três personagens centrais, cada um seguindo o seu caminho (Ou pelo menos tentando) depois do desaparecimento de Stewart Green 17 anos antes.

Ray Levine é um fotógrafo fantástico que após a fatídica noite do sumiço do homem citado ficou bem abaixo do que era o fundo do poço. Um segredo terrível corrói a sua alma e deixa tudo sombrio ao seu redor. Mesmo com o talento transbordando em cada poro seu, ganha a vida como paparazzi de mentira de ricos que fingem ser famosos. Ou seja, ele odeia a sua vida.

Megan Pierce é uma típica dona de casa americana. Bem financeiramente, com um marido apaixonado, dois filhos que ama e uma casa luxuosa no subúrbio, ela tem uma vida que acredita ser muito da chata. Por isso sente falta do seu passado que era um tanto, digamos, comprometedor, do qual ninguém sabe nada e terminou no dia do desaparecimento de Stewart Green.

O Detetive Broome foi o policial responsável pelo caso de Stewart Green. Apesar de 17 anos terem se passado, ele nunca descobriu o que aconteceu ao homem e isso corroi a sua mente de detetive. Por isso, mesmo tanto tempo depois, ele ainda procura provas, evidências e testemunhas que possam levar a qualquer informação sobre isso.

Quando um jovem chamado Carlton Flynn desaparece nos mesmos padrões que Stewart Green, Broome, Megan e Ray têm sua vida virada de cabeça para baixo e todos os podres do passado vêm a tona com uma intensidade ainda maior.

Até que nessa foto a careca dele não está muito lustrosa, haha

Harlan Coben tem o dom de deixar o leitor curioso. E ele vai jogando várias pistas com o passar das páginas, cada uma mais contraditória do que a outra, e você não sabe no que acreditar. Passa até mesmo a pensar que os mocinhos são os bandidos, porque até eles têm indícios disso. Em alguns livros é o que acontece, em outros não. Nem te conto qual é o caso de Fique Comigo! Só digo uma coisa: Meu queixo caiu. Não era quem eu imaginava ser nunca na vida, mas fazia todo o sentido do mundo e estava lá o tempo todo, bem debaixo do meu nariz.

O meio do livro achei meio enrolado e me cansou um pouquinho. Mas foi bem pouquinho, juro. É porque eu estava super curiosa querendo saber logo o final e achei que o autor podia estar só enchendo linguiça. Mesmo assim, a leitura voa, é envolvente e você termina rapidinho. É uma daquelas obras para se engolir em apenas três, quatro dias.

Uma coisa que eu achei super legal nesse livro e que eu li nos agradecimentos e nota do autor (Eu sempre leio essas coisas), é que vários personagens ganharam o nome de pessoas que fizeram doações a obras de caridade pelo site do autor.

Harlan Coben, obrigada por existir e ser escritor. Acho que eu te amo. Hahaha.

Recomendo.

Teca Machado

2 comentários:

  1. Todo mundo fala TÃO bem do Harlan Coben! Até hoje eu não li nada dele! :(
    Curiosidade é sempre um fator que eu cito nas minhas resenhas: ela leva o leitor a extremos para saber o que vai acontecer.
    Adorei a resenha, Teca. ;)

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luara!
      Que bom que você gostou.
      O Harlan Coben é muito bom. Nunca li um livro dele que não tenha gostado. A série do Myron Bolitar é excelente e os livros avulsos também.
      E eles atiçam muito a curiosidade. Se você gosta de suspense policial, tenho certeza que vai gostar.
      Beijooooo

      Excluir