sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Meu pedido veio errado!



O meu príncipe encantado não veio bem do jeito que eu pedi. Aposto que o seu também não. Dificilmente eles têm o rosto do Henry Cavill ou o corpo do Ryan Gosling em Amor a Toda Prova (“Cara, você fez Photoshop no abdômen?”). Estou falando de príncipes, mas o mesmo vale para as princesas. Muitos dos homens podem ficar decepcionados por não encontrarem lábios como os da Angelina Jolie por aí e por descobrirem que a mulher que veio para eles também arrota, solta pum e tem uma TPM das bravas.

A pessoa ideal não é como a gente pediu, mas provavelmente é a que a gente precisa, é aquela que faz bem e que dá paz. Não estou falando dos amores passageiros de verão ou só aqueles flertes, como diria a nossa avó. Esses podem até dar felicidade por um tempo, mas são uma dor de cabeça que só. O ponto aqui é sobre aquele que é para sempre, por mais contos de fadas que isso pareça.

O verdadeiro amor (Me perdoem pela breguice do termo) pode vir com a péssima mania de não responder o seu What’s App na hora. E também ter um gosto musical meio duvidoso e cantar extremamente desafinado no seu ouvido sempre que começa a música preferida dele. Ele pode ter um pouquinho de chulé e a barriga levemente saliente ou umas celulites. Pode fazer piada com a sua cara o tempo todo e ainda rir das coisas que você mais odeia em você mesmo. Pode te irritar profundamente por sempre chegar atrasado aos compromissos e ser educado demais com aquele(a) ex que você simplesmente detesta.


Mas esse seu verdadeiro amor te olha de uma maneira que ninguém mais faz. Ele também tem o cheiro mais gostoso do mundo. Não é perfume, é dele mesmo. Ele te deixa com raiva quando te zoa, só que faz de um modo que você ri e passa logo a irritação. Essa pessoa tem uma marca de expressão nos cantos da boca que apareceu porque ela sorri muito. Sorri para você. Te faz surpresas quando você menos espera e escuta suas lamúrias mesmo que já esteja enjoado do seu papo e o dia dele tenha sido pior do que o seu. Ele também reclama um pouquinho, mas acaba assistindo os programas que você quer. E quando você deita em seu colo para assistir um filme e você acaba dormindo cinco minutos depois, ele passa todo o tempo te fazendo cafuné porque sabe que você gosta disso, mesmo quando não está acordado.

A gente não escolhe alguém porque a pessoa tem as melhores qualidades, mas porque tem os melhores defeitos, vamos assim dizer. Defeitos que não incomodam a ponto de você querer sair correndo sem nem olhar para trás. Defeitos suportáveis. Defeitos que não ferem a sua visão de mundo. Defeitos considerados até bonitinhos depois de um tempo. 

E é por isso que os príncipes e as princesas não são do jeito que a gente pediu. Príncipes e princesas não são humanos, não têm falhas, não tem graça. E qual é a graça de viver uma vida sem graça?

Teca Machado

2 comentários:

  1. Mandei até pra minha namorada esse ;)

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto. Parabéns. Reflete exatamente a realidade.

    ResponderExcluir