quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Brasil e EUA no filme Amor Por Acaso


Amor Por Acaso, filme de 2010 que tem direção do Marcio Garcia (Sim, ele mesmo, o ator), sofreu milhões de críticas ruins quando foi lançado. Mas quer saber? Eu achei uma graça! Normal as pessoas falarem mal de comédias românticas, ainda mais daquelas dirigidas por ninguém menos do que Marcio Garcia, que não é nem de longe o melhor dos atores. Eu mesma assisti porque não tinha muita opção, não porque queria. Minha irmã ia ver, eu queria assistir televisão, então sentei no sofá. Não me arrependi, porque gostei bastante.


O filme passa em dois cenários, Brasil e Estados Unidos, e é falado nas línguas dos dois países, mas bem mais em inglês. Ana Vilanova (Juliana Paes) é supervisora de uma grande loja de departamento no Rio de Janeiro. Tem um irmão que suga toda a sua paz e o seu dinheiro e um namorado que é pior ainda (Marcos Pasquim sendo ridículo e super forçado). Quando seu pai morre, ele deixa de “herança” R$ 500 mil em dívidas. Mas seu advogado Victor (Julian Stone), que ninguém explica porque só fala em inglês no Brasil, conta que além da conta a pagar, o pai de Ana deixou um terreno na Califórnia, que ela pode vender para quitar a dívida. Então Ana e Victor embarcam rumo aos EUA.

Ana e o seu chefe, que é o Rodrigo Lombardi fazendo uma pontinha

O problema é que já tem alguém morando no local, um homem chamado Jake Sullivan (Dean Cain, o Superman daquela série antiga As Aventuras de Louis & Clark). Pior, ele transformou a casa em uma pousada e diz que ganhou o local de herança de uma amiga, então, por lei, é dele, não de Ana. Começa assim a típica briga entre homem bonito e mulher bonita onde ambos têm razão e eles acabam se apaixonando, é claro. Comédia romântica com final previsível, mas que assistimos e gostamos mesmo assim.

Claro que eles brigam! Jake e Ana

Em Amor Por Acaso Juliana Paes está linda. Magérrima e com figurino bonito. Seu inglês é muito bom. De vez em quando dá uma escorregada no sotaque, mas tudo bem. Dean Cain é meio canastrão, mas como ele é bonitão a gente até perdoa. Para mim, ele sempre vai ter cara de Superman (Mas eu prefiro mil vezes o Henry Cavill, aquele lindo de doer), já que quando eu era pequena amaaaava a série que ele fazia e não perdia nenhum episódio. Julian Stone está muito engraçado no papel. Me arrancou muitas risadas.

O irmão de Jake que só pensa em cerveja

A fotografia do filme é muito bonita, mas é perceptível a diferença no som e na imagem quando sai do Brasil e vai para os Estados Unidos. No cenário da Califórnia é tudo muito mais límpido, tanto as vozes dos atores quando a qualidade das cenas.

O que eu achei meio sem noção foi o merchandising que o Marcio Garcia faz no final, quando faz uma ponta um pouquinho antes dos créditos. É até engraçado, mas totalmente fora do contexto do filme.

Ah, o amor!

Amor Por Acaso é o tipo de filme que você assiste quando deseja algo para passar o tempo e ficar falando “ooooohn” depois que acaba.

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário