terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Odeio frio, mas amei Frozen – Uma Aventura Congelante


Antigamente as princesas da Disney eram bem burras. A Cinderela nem reclamou de a sua madrasta ficar com tudo o que era seu por direito. A Branca de Neve saiu para passear com um caçador e aceitou comida de estranhos. A Bela Adormecida se apaixonou por um cara desconhecido (Mas bonito) que cantou com ela no meio da floresta. Nenhum ótimo exemplo de heroína, para falar a verdade. Mas nos desenhos atuais a Disney tem transformado as suas protagonistas. Elas podem até começar bobinhas e ingênuas, mas nas adversidades se transformam em mulheres fortes, independentes e engraçadas. Esse foi o caso de Enrolados, cuja princesa foi a Rapunzel, de Valente, com a destemida e descabelada Merida, e agora de Frozen – Uma Aventura Congelante, com as ótimas Ana e Elsa.


Em Frozen, passado no país fictício de Arendelle, Elsa e Ana foram duas irmãs muito ligadas na infância. Não se sabe porquê, mas Elsa, a mais velha, nasceu com poder de criar neve, gelo e frio com as mãos. As garotinhas viviam brincando com isso, até que Elsa sem querer quase mata Ana congelada. Os seus talentos podem ser uma maldição, então os pais acham melhor deixar a primogênita afastada do mundo enquanto não consegue controlar seus poderes. Afastada até mesmo de Ana, que não entende o que aconteceu e insiste em retomar a amizade com a irmã, que só a repele.

Elsa e Ana

Quando mais velhas, no dia da coroação de Elsa como rainha, Ana conhece Hans e, no mesmo dia, resolve que é uma ótima ideia se casar com ele. Elsa fica brava e perde o controle, deixando Arendelle debaixo de um inverno extremamente rigoroso, mesmo sendo o auge do verão. Vendo o que fez, a nova rainha foge e vira uma reclusa. Ana fica inconformada e vai atrás da irmã com a ajuda de Kristoff, um vendedor de gelo, Swen, sua rena, e Olaf, um boneco de neve a quem Elsa sem querer deu vida.

Hans e Ana

Está na cara de Elsa que ela é uma reprimida. Roupas muito sóbrias, cabelo muito arrumado, sempre muito séria. Quando ela se liberta das amarras na sua autoreclusão, vira uma diva. Já Ana é a filha engraçada, leve, atrapalhada e divertida. As duas são personagens ótimas a quem o espectador entrega o coração, principalmente a caçula. Kristoff é muito engraçado e Olaf e Swen são um caso a parte. Ganham o todo o seu amor. A dublagem ficou impecável. Fabio Porchat é Olaf. Nem senti falta de assistir no idioma original.

Ana, Olaf, Kristoff e Swen

Frozen – Uma Aventura Congelante é um musical. Há tempos a Disney não fazia um desenho com tantas músicas. Enrolados tinha algumas, mas não tantas. As canções são simplesmente maravilhosas e até homens vão gostar. Grande candidato ao Oscar de Canção Original e Animação (Por falar nisso, o filme ganhou no domingo o Globo de Ouro na categoria Animação).

Os personagens amores!

Como estamos falando da Disney, é óbvio que não podemos esperar nada menos do que a perfeição no visual. Frozen é lindo. A maneira como fizeram a neve, os flocos de neve, o palácio de cristal de Elsa, tudo é um deleite para os olhos (Ainda mais se for em 3D). Os humanos e animais possuem os mesmos traços bonitos e quase infantis encontrados em Enrolados.

Elsa na sua época reprimida

Segundo o diretor Chris Buck (De Tarzan), e a co-diretora e roteirista Jennifer Lee (De Detona Ralph – Comentei aqui), Frozen foi inspirado no conto de fadas A Rainha das Neves, do dinamarquês Hans Christian Andersen, o mesmo que escreveu A Pequena Sereia original.

Todo elenco

Mais do que sobre amor de um casal, Frozen – Uma Aventura Congelante é sobre o amor familiar, fraternal. É uma das maiores diferenças desse filme para as outras animações princesísticas da Disney. Eles até fazem graça ao dizer que é estupidez ficar noiva de um cara que você acabou de conhecer, como aconteceu em produções mais antigas.

Recomendo muito.

Teca Machado

P.S.1: O curta antes do desenho começar é sensacional. Misturou o Mickey antigo com o novo. Parabéns para a Disney!

P.S.2: O pessoal do cinema de Cuiabá levou muito a sério o filme ser sobre frio e neve. Acho que eu nunca passei tanto frio numa sala de cinema. O ar condicionado estava na temperatura mínima e eu de shortinho, haha.

Um comentário:

  1. Que engraçado, quando eu fui ao cinema ver este filme, o ar condicionado também estava de congelar... hahah, é, o povo está levando bem à sério o tema do filme.

    ResponderExcluir