sexta-feira, 20 de junho de 2014

Caminhando sobre a geleira! #ElCalafate - Por Iara Vilela


Eu sempre quis conhecer o sul da Argentina. Mas, acho que por ser tão ‘perto’ de casa, acabei dando preferência para outros destinos, mas El Calafate e Ushuaia (Comentei aqui) sempre fizeram parte do meu imaginário. Pouco antes do carnaval decidimos viajar e como a ideia era fugir da multidão do carnaval, na hora me veio na cabeça: “Agora é a vez de Ushuaia”!

Geralmente o roteiro dos turistas é : Ushuaia -> El Calafate, mas pesquisando saiu mais barato fazer o trecho contrário e desembarcamos em Calafate em uma segunda-feira de carnaval. E que delícia! Claro, havia muita gente, mas ainda assim a cidade de pouco mais de 4 mil habitantes não estava lotada. Fizemos um reconhecimento rápido da área central e fomos descansar, no outro dia iríamos conhecer o Glaciar Perito Moreno.

Com direito a arco-íris!
Na cidade existem várias agências de turismo que vendem passeios dos mais diversos como trekking, navegação e etc. Eu escolhi comprar com a Hielo y Aventura, que mesmo tendo um preço um pouco mais alto, foi a melhor recomendada por todos que perguntei. Eles ficam na avenida principal e você pode reservar os passeios antecipadamente pela internet (não, isso não é publi! Quando eu gosto eu falo mesmo e adorei o serviço deles).

Eu, claro, já tinha pesquisado na internet sobre o Glaciar. Tinha lido relatos e mais relatos sobre a grandiosidade do “paredão” de gelo, mas mesmo assim, acho que subestimei a beleza do lugar. Isso porque o passeio não começa quando você entra no barco ou quando vê a montanha gelada. Nesta época (verão) a vegetação está seca e se mistura com o Lago Argentino, céu azul e montanhas… enfim, um cenário mais lindo que o outro desde o momento em que você sai da cidade.

Tem como um amanhecer ser mais lindo?
Nesse aspecto nosso erro foi ter contratado o passeio com o translado até o parque. Se puder, vale a pena alugar um carro para que você possa parar na estrada e aproveitar a paisagem.

Foto sem NENHUM filtro!
Percorremos cerca de uma hora de ônibus até uma espécie de ‘porto’ da Hielo y Aventura. De lá passeamos de barco por uns 15 minutos vendo a geleira e que coisa linda. Vimos o glaciar pela primeira vez ao som de muitos: “Uau! , “Que lindo”, “É enorme”, “Maravilhoso” e tudo isso em idiomas diferentes! rs Não sei algum adjetivo que não seja clichê, mas o fato é que impressiona mesmo, principalmente para nós – Brasileiros – que não temos isso por aqui.


Desembarcamos para um mini-trekking sobre a geleira e de novo muitos: “Uau”, “Que lindo” e “Maravilhoso”! Recebemos algumas orientações de como pisar, subir e descer no gelo, o enorme grupo foi dividido em três pequenos e caminhamos até a encosta da geleira para que os guias pudessem amarrar os grampos em nossos sapatos. Fica aqui uma observação: os guias são super treinados e eles que amarram os grampos em cada turista, para evitar qualquer acidente.


O mini-trekkin é mini mesmo! Acho que percorremos pouco mais de uma hora entre as galerias de gelo, mas foi o suficiente para ser especial. Foi a minha primeira experiência com gelo, então tudo ali era novidade! Subimos e descemos alguns picos e no final os guias nos surpreenderam com uma “festinha”, regada a whisky com gelo direto do glaciar e claro, alfajor!!



Eu adorei tudo e faria novamente. Mas, esse é do tipo de passeio em que você ama ou odeia. Quem não gosta muito de frio, vento ou esportes pode não gostar. Sem contar que o mini-trekking é proibido para menores de 8 anos, maiores de 60 e grávidas. Se você é da turma do não, veja essas fotos, vai que elas te convencem! ahaha





Valores

Como disse antes, fiz esse passeio com a empresa Hielo y Aventura. Encontrei outras operadoras de turismo mais em conta, mas preferi escolher a que foi melhor recomendada.

O passeio completo com translado desde o hotel custou (em março/2014) um total de $800 pesos por pessoa – algo em torno de R$ 235,00 – e valeu cada centavo. Sem o translado o valor cai para $670 pesos. Também é preciso pagar uma taxa de entrada no Parque, que é de $ 70 pesos (por pessoa) para nós que fazemos parte do Mercosul.


#Wanderlust

Iara Vilela é jornalista e como boa wanderluster, ama viajar e já conhece mais de 50 cidades em 11 países. Ela também gosta de chocolate, esmaltes, cervejas especiais, tulipas, moda e é dona de um São Bernardo e de um Golden Retriever. Pseudo-nerd que é, adora toda a obra de J.R.R. Tolkien e Isaac Asimov, além de ter paixão por festivais de música! Entre uma viagem e outra, ela escreve para este lindo blog e também para o"Com Erros Aprendi", que conta furadas e erros de navegação em muitas de suas viagens pelo mundo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário