segunda-feira, 9 de junho de 2014

Para chorar livros, 2ª edição: A Culpa é das Estrelas, filme


Hoje o Casos Acasos e Livros comemora dois anos! Foram mais de 125 mil visualizações, vários sorteios, 625 posts, centenas de livros, filmes, seriados, músicas, séries fotográficas e muitas fofurinhas. Desse tempo só tenho a agradecer a vocês, esses leitores lindões, que sempre me dão apoio, comentam, dão ideias de posts e passam por essa página que quando eu criei há exatos dois anos, num sábado de tédio, achei que se tivesse 100 acessos seria muito. Enfim, obrigada, gente! E que venham muitos anos mais com a ajuda de vocês. 

Por coincidência, no dia do 2º aniversário do meu bebê, o post é sobre o meu amado, idolatrado, salve salve A Culpa é das Estrelas, mas dessa vez do filme, do diretor Josh Boone (O livro comentei aqui).


Uma das maiores recomendações que a gente escuta sobre a produção é: Vá ao cinema com um lencinho. Mas acho que o mais certo é dizer para você ir com uma grande toalha. Você vai chorar. Ah, se vai! Acho que eu nunca vi um cinema com tanto barulho de choro e gente fungando. Quase deu para nadar nas lágrimas das pessoas.

90% do mundo já sabe pelo menos o enredo do filme, pois a obra homônima do escritor John Green, no qual foi baseado, foi traduzida para 46 idiomas e vendida mais de 10 milhões de cópias. A Culpa é das Estrelas conta a história de Hazel Grace, uma garota de 16 anos, com câncer terminal, que vai a um grupo de apoio para jovens doentes e conhece Augustus Waters, Gus, um rapaz que já venceu o câncer. Apesar de todos os seus esforços contra, Hazel cai de amores por Gus, poque ele é a pessoa mais charmosa do universo, e o seu romance, apesar de ter os dias contatos, tem a força de histórias que duraram décadas.

Muito amor nesse meu coração

A escolha de Shailene Woodley e Ansel Elgort, novos queridinhos de Hollywood, para o papel dos protagonistas foi mais do que acertada. Quando foi anunciada Shailene como Hazel, eu não tinha gostado muito, não achei que combinasse, pois achei que a personagem era mais frágil do que ela. Mas ela me convenceu, ela fez um excelente trabalho. Ela se tornou Hazel, deu o tom sarcástico, porém sensível que a gente encontra no livro. Já Ansel É o Gus, ele é a personificação de Gus. Até os corações mais gelados se derretem quando ele dá aquele sorrisinho torto ou levanta só uma sobrancelha (Pausa para eu suspirar). O resto do elenco também foi escolhido com primor: Nat Wolff (Que será o Quentin, de Cidades de Papel, outro livro de John Green que está virando filme) como Isaac, Laura Dern como mãe de Hazel, Sam Trammell como pai dela e Willem Dafoe como o enlouquecido Van Houten.

Gus, Isaac e Hazel

O diretor soube dar a sensibilidade de história sem ser recheado de clichês, óbvio ou dramático demais. A história é, sim, triste de se jogar da ponte, mas tanto John Green quanto Josh Boone souberam transformar um tema delicadíssimo e trágico em algo extremamente agradável de se assistir. Apesar de tudo, tem um quê de serenidade em A Culpa é das Estrelas.

Um dos pontos que mais agradam aos fãs do livro é que o filme é muito parecido com o livro. Muito mesmo. Claro que algumas partes foram cortadas, mas é normal, não cabe tudo. Algo que também chama a atenção são os detalhes do livro levados para o filme, como cartazes do quarto do Gus, roupas da Hazel e aspectos do cenário. Isso é resultado de John Green ter acompanhado tudo de perto, para que a essência da sua obra não fosse perdida.

*.*

Por falar nisso, a fotografia é lindíssima, principalmente quando estão em Amsterdã, e os recursos visuais. Gostei muito de as mensagens que eles trocam estarem escritas na tela. A trilha sonora também é toda maravilhosa, com a música mega linda All of the Star, do Ed Sheeran.

A Culpa é das Estrelas é o que eu imaginei que seria e mais. Não falo com imparcialidade, é claro, porque é um dos meus livros preferidos, mas até o momento eu não vi nenhuma crítica ruim sobre a produção, se tornando também um dos meus filmes preferidos. Valeu, John Green! Valeu, Josh Boone!

Amsterdã

Recomendo com todo o meu coração apertado e com as minhas lágrimas derramadas.

Teca Machado

2 comentários:

  1. Ah! Ansel é vidaaa!! Tô apaixonada por ele!! <33
    Tô louca para assistir ao filme e chorar horrores!! Adorei o post, friend! Deu mais vontade ainda de assistir.
    Beijos,
    Carol
    www.pequenajornalista.com.br

    ResponderExcluir
  2. Já li e estou me preparando para assistir e chorar horrores, li que a atriz quando assistiu se emocionou até...amei seu cantinho! ♥ Beeeeeeeijos

    ResponderExcluir