terça-feira, 16 de outubro de 2012

Queda livre da estratosfera


Eu tenho vários sonhos. Tem algumas coisas que eu sou louca para fazer antes de morrer. Tenho uma lista mental, bem no estilo do filme Antes de Partir, com Jack Nicholson e Morgan Freeman. Uma das minhas maiores vontades da vida é pular de paraquedas. Não fiz isso até hoje porque 1) Acho que eu mataria o meu pai do coração (Como ele costumar frisar sempre que falo sobre isso) e 2) Não tive a oportunidade. Deve ser uma sensação incrivelmente libertadora saltar de um avião e despencar, ver o mundo lá do alto, sentir-se quase como um pássaro. Outro sonho meu é ir para o espaço (E isso eu tenho certeza absoluta que não é algo que eu vou conseguir fazer). Compreender a imensidão do universo, perceber que você é um pontinho minúsculo entre tudo o que Deus fez. Isso sim deve ser arrebatador!

Então, o austríaco Felix Baumartner, de 43 anos, fez as duas coisas no último domingo a tarde. Patrocinado pelo Red Bull (Que te dá asas, olha que bonito!), com uma capsula projetada pela NASA, vestimenta de astronauta e um balão de gás gigantesco, ele subiu a 39 mil metros de altura e pulou. Simples assim. 

Esse é o Felix, o maluco.

Seu feito fez com que quebrasse três recordes: 1) Ele atingiu 1.342,8 km/h e quebrou a barreira da velocidade do som, sendo o primeiro ser humano a realizar esse feito em queda livre, sem ajuda mecânica; 2) Fez o salto de paraquedas da maior altura já registrada (Afinal, ele estava na estratosfera!) e 3) Subiu de balão ao ponto mais alto já registrado.

De onde ele tirou essa ideia? Não sei, não achei nenhuma entrevista com ele que explicasse o motivo, mas ele deve ter pensado assim: “Poxa, já saltei de paraquedas 73652 vezes e perdeu a graça. O que eu posso fazer para acrescentar um pouco mais de emoção à minha vida? Já sei, vou pular do espaço!”.

O salto, transmitido ao vivo no mundo todo, foi filmado por mais de 30 câmeras. Nas que estão na capsula que Felix Baumartner usou para subir, ele demonstra estar super calmo. Quando abre a portinha para pular, olha o ambiente um tempo, fica com as pernas penduradas do lado de fora e, então, se joga. Se algumas pessoas tem vertigem ao olhar para baixo em uma sacada de prédio, imagina ver o mundo lá embaixo e você sabendo que vai pular. Ele deve ter ficado estarrecido com o visual. É interessante perceber no vídeo a Terra girando (Bem devagar, é claro, mas dá para ver).

Imagem de uma das câmeras da capsula instantes antes de ele pular.

Um salto desse é MUITO arriscado. Além de o paraquedas não abrir etc etc e etc, se ele começasse a rodar de forma descontrolada, poderia perder a consciência e sofrer uma hemorragia cerebral. E em certo ponto, o paraquedista começou realmente a girar, mas, antes de precisar acionar o controle de emergência (O que o salvaria, mas tiraria o recorde), conseguiu o controle e voltou a despencar como deveria.

Depois de se preparar por cinco anos e cair durante mais de quatro minutos, Felix Baumartner chegou são e salvo ao chão. Em entrevistas, afirmou que antes de pular só pensava em uma coisa: no medo de morrer com sua mãe e sua namorada vendo o salto pela televisão.

“Quando você está no topo do mundo, torna-se mais humilde. Eu não pensava em recordes, nada disso.”, disse Baumgartner. “Antes, pensei em todo mundo que estava me vendo, torcendo por mim... Às vezes, é preciso ir muito alto para compreender quão pequenos somos”, filosofou.

Depois de fazer algo tão extraordinário, Felix diz estar sem ideias de qual será seu próximo objetivo. Eu duvido que ele ache algo mais emocionante do que pular da estratosfera.

Olha aí o vídeo do salto: 




Eu gosto de esportes mais radicais, mas acho que isso aí eu não encaro, não, viu?

Teca Machado

Um comentário:

  1. A energia do universo é muito maior do que se imagina, principalmente porque a maioria das pessoas não imagina nada. ( frase do livro Desaforismos de Georges Najjar Jr )

    ResponderExcluir