segunda-feira, 30 de julho de 2012

A patricinha aqui agradece


Eu queria agradecer MUITO a vocês, meus leitores lindos, que entram aqui todos os dias ou quase isso. Em menos de 2 meses (Nossa, parece que tem muito mais tempo!), o Casos Acasos e Livros já alcançou quase 4 mil visualizações. Ok, comparado a blogs de sucesso ou mais antigos, esse número é praticamente inexpressivo, mas para mim não é. Nunca pensei que conseguiria isso tão rápido ou mesmo que chegaria a tanto algum dia. Fico muito feliz de saber que tem gente interessada no que eu penso, falo e escrevo. Fatos como esse só me dão mais forças para correr atrás do meu verdadeiro sonho: virar escritora.

Isso tem me deixado muito feliz, pois mostra que o que algumas pessoas pensam de mim são apenas críticas infundadas, fruto de sentimentos muito feios, como a inveja. Já escutei algumas vezes que eu sou apenas mediana, que sou incompetente, que não sei fazer nada e que eu sou apenas oca. Até mesmo já ouvi que sou apenas a típica bonitinha burra ou que eu só consigo as coisas porque os meus pais mexem os pauzinhos para mim.

Minha capacidade intelectual nunca chegou perto da do Sheldon, do The Big Bang Theory, mas, sinceramente, estou longe de ser burra. Bonitinha posso até ser, haha. Meus pais não são pessoas influentes, do tipo que falam com alguém e o que eu quero se materializa na minha frente. Além disso, nunca pedi para eles me arrumarem empregos ou vagas em cursos. Todos os trabalhos que tive até hoje, eu que corri atrás e consegui.

Não chego nem perto dele, mas bem que queria! 

Claro que conhecer gente ajuda, e muito. Afinal, o que seria do mundo empresarial sem o famoso QI (Quem Indica), certo? Mas, vamos pensar racionalmente, se eu conheço alguém bom, ideal para algum trabalho, por que iria preferir contratar um desconhecido sem referências? Posso até ser a primeira opção para um emprego porque conheço alguém, mas, se eu me mantenho lá durante muito tempo, é porque alguma coisa eu estou fazendo de maneira satisfatória.

Felizmente, acho que quem pensa isso é minoria. Posso ser várias coisas: vaidosa, um tanto patricinha, meio filhinha de mamãe e papai, gosto de ter coisas boas e viajar. Deus me abençoou muito e eu nunca tive realmente dificuldades na vida. Mas, isso não significa que tudo me cai do céu de mão beijada. Gosto de trabalhar, de ter o meu dinheiro, de ter a minha profissão e de tentar fazer alguma diferença no mundo. Nunca sentaria num sofá e esperaria a vida passar. Gosto de fazer a minha vida e moldá-la da maneira que eu quiser.

Quando comecei a escrever esse post, não era bem isso o que eu queria falar. Mas foi o que saiu e é o que meu coração deseja falar para vocês hoje (Profundo, né?). Acho que é porque começo num novo emprego daqui a pouquinho! Ansiosa e feliz!

Obrigada mais uma vez pelas visitas e voltem sempre!

Beijos com sabor de livro novo,

Teca Machado

4 comentários:

  1. Querida Teca. Li seu post e lembrei-me de uma aula nossa sobre relações. Na vida tecemos relações, o tempo todo. Interagimos socialmente. Neste percurso que se chama vida, nos identificamos mais com uns, menos com outros, mostramos nosso valor mais em alguma área, menos em outras. Nada errado com isso. É próprio da dinâmica humana. Neste nosso contexto do mundo profissional atual, acredite, ter uma indicação (qdo for o caso), um depoimento favorável, não é vergonha. É uma conquista. Isso acontece o tempo todo, dos menores aos mais altos cargos. Aos poucos conhecemos as pessoas e vamos testemunhando sobre elas. Isso abre portas, para quem trabalha para isso, e ora fecha.... A natureza humana, minha amiga. Meus parabéns para suas conquistas, para todas as conquistas!
    Janaína

    ResponderExcluir
  2. Tequinha, concordo com você em genêro, número e grau. Até porque não tenho vergonha de falar que estou onde estou pq tinha conhecidos na empresa, que por sinal já conheciam meu trabalho e "deporam" a meu favor. MAS só estou lá até hoje pq sou COMPETENTE E FAÇO BEM O MEU TRABALHO. Tenho ctz que este é o seu caso tbm. Feliz daquele jornalista bem relacionado!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Teca, adorei o texto! Uma das coisas que a vida tem me ensinado é que devemos seguir o nosso caminho, procurando sempre fazer o melhor. Dessa forma, certamente teremos sucesso. O importante é gostar do que se faz e fazer da melhor maneira possível. Vejo que você é assim e, por isso, tem conquistado coisas tão legais. Cada um de nós tem seu próprio caminho e aquilo que colhemos em nossa vida depende única e exclusivamente de nós. Se plantarmos flores, colheremos flores. É a famosa lei do plantio e da colheita. Que você continue sendo essa linda flor, que espalha tantas flores por onde passa. Beijo!

    ResponderExcluir