sábado, 14 de julho de 2012

Viajar, comprar e passar a perna na Hermès


Sempre gostei bastante de moda e me interessei pelo tema. Teve uma época que pensei em fazer um blog do assunto, mas, uma amiga queridíssima, a Lu, já tem a página Fãs da Moda, da qual eu sou MUITO fã e supre as minhas necessidades diárias do mundo fashion. Acabei vertendo para esse lado de livros, filmes, seriados e etc, que eu sempre amei desde que me entendendo por gente. Mas, isso não significa que eu não possa juntar cultura + moda.

Acabei de ler o livro Como Entrei na Lista Negra da Hermès, de Michael Tonello (mais um que eu vi a capa e adorei. Julguei o livro pela capa e me dei bem!).


Ele conta a história de um maquiador americano que se apaixonou por Barcelona e largou os EUA para viver na Europa. Foi tendo um emprego em vista, mas, em menos de uma semana deu tudo errado e ele ficou desempregado em um país onde ele não falava a língua, totalmente sem amigos, com um contrato de aluguel de cinco anos e sem nenhuma perspectiva de dinheiro.

Desesperado, Michael começou a vender alguns pertences no eBay, inclusive um lenço da luxuosa e exclusiva marca Hermès. Com isso, ele descobriu o fabuloso mundo da Hermès e das mulheres ricas em todo lugar que pagam milhares de dólares sem dó nem piedade por qualquer coisa que tenha o símbolo H e as embalagens laranjas. Mas, melhor ainda, ele encontrou o caminho curto, uma fórmula, como ele diz, para comprar as famigeradas Birkins, as it-bags, queridinhas do mundo fashion, que custam (as mais baratas) em torno de 9 mil dólares e tem filas de espera de mais de dois anos para poder comprar (e que eu, particularmente, acho uma bolsa muito da sem graça).

É algo como Ferrari: não basta você ter dinheiro para pagar, você tem que merecer, ter a classe necessária e a loja só vende para quem ela quiser.

O autor conta como passou a viajar o mundo todo atrás das Birkins e como enganou a grande corporação Hermès. Depois de um tempo, ele diz que não fazia pelo dinheiro, fazia pela pirraça e satisfação de passar a perna na companhia.

Como Entrei na Lista Negra da Hermès é uma leitura despretensiosa, ótima para feriado prolongados e dias preguiçosos na praia ou em uma rede. A linguagem é fácil e parece que Michael Tonello sentou com você em uma sofá e está te contando pessoalmente tudo o que fez na louca corrida atrás das Birkins. Você fica com vontade de que ele seja o seu melhor amigo e te leve junto para passear pelos mais variados países comprando bolsas. Viagem e compras, quer algo mais divertido?

Esse vídeo dele falando sobre o livro está em inglês, mas é bem legal:




Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário