terça-feira, 17 de julho de 2012

Minha irmã me amarrava no poste


Tenho uma história muito triste (para mim, mas, para vocês, provavelmente vai ser muito engraçada) para contar: O dia em que a minha irmã me amarrou no poste e me deixou lá por várias horas.

Eu tenho uma irmã 3 anos mais velha chamada Marina, mas eu só chamo ela de Nana. Eu sempre confiei muito nas pessoas, fui (e ainda sou, confesso, mas, por favor, não use isso contra mim) do tipo que acredita em ABSOLUTAMENTE tudo o que me contam, mesmo quando são coisas do tipo "vi uma mão verde no meio do capim e ela agarrou o meu pé" (Juro que uma vez, quando eu tinha uns 10 anos, achei que isso fosse verdade).

A minha irmã, sempre muito implicante, arrumava jeitos de aprontar comigo, sempre respaldada pelo meu querido pai que contou para ela várias maneiras que ele implicava com os meus tios. Então, ela me chamava para brincar de escola: ela era a professora e eu a aluna burra que fazia tarefa de verdade. Brincar de escritório: ela era a chefe e eu a secretária que fazia tudo, inclusive ir pegar água para ela. Brincar de maquiadora: ela me transformava numa drag queen e quando era a minha vez de maquiar, ela dizia "cansei de brincar" e eu ficava com cara de tacho.

Uma vez ela me amarrou num edredon bem fofinho, como uma múmia, e me empurrou escada abaixo para ver se amortecia a queda. Fora a vez que ela trancou a mim e uma amiga na sacada da minha casa de noite, apagou todas as luzes e depois apareceu no vidro fantasiada de monstro. Aquela noite eu quase não dormi.

Então, voltando à história principal. Eu tinha uns seis anos e meus pais saíram de casa. Era de tarde e ficamos só as duas. De repente minha irmã vira para mim e pergunta:

- Teca, quer brincar de índio?

- Eu quero, mas só se eu for a xerife!

- Negativo. Eu sou a mais velha, eu que mando, e você é a índia.

- Está bem, mas só se você prometer não me amarrar.

- Aham... Prometo...

Como sempre fui boazinha (tradução: boba), aceitei. Ela pintou meu rosto e colocou em mim cocares e colares que meus pais uma vez trouxeram de uma viagem de Manaus. Começamos a brincar no campinho e no jardim da minha casa, que é bem grande. Ela, como xerife, me pegou e amarrou no poste bem apertado com uma corda para eu não fugir. Trabalho feito, ela vira para mim e fala:

- Cansei de brincar. Fica aí um pouquinho.

Fica aí? COMO ASSIM? Mas, como não tinha escapatória, fiquei lá um tempão. Até que meus pais chegaram. Pensei: "Oba! É hoje que a Nana apanha e leva bronca". Mas meu pai achou aquilo tão engraçado que o que ele fez? Pegou a filmadora e me filmou lá amarrada chorando e gritando.

- Me solta! Eu sou do bem. Eu era índia só de brincadeirinhaaaaaaaaaaaa...

Enfim, essa é a história triste da minha vida. Falando assim, a minha irmã parece super malvada. Mas ela é um doce, MUITO legal e nos damos muito bem, por mais incrível que pareça.

Nana, eu te amo, sua chata!


Quem vê essa loira com cara de santa nem imagina que ela me amarrava no poste...


Teca Machado

5 comentários:

  1. eu MORRI de rir desse post!!! ainda bem que sua 'nana' existe.. para nossa alegria hahahahahahahahah

    ResponderExcluir
  2. Eu vou procurar este vídeo para relembrar as gargalhadas.
    ( o pai da Teca )

    ResponderExcluir
  3. Essa eu quero verrrrrrr.....kkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Definitivamente, eu era uma criança muito igual a você Teca! (Mas diria que até hoje sou meio abextada...kkk)Uma vez o meu irmão me chamou pra brincar de "ficar preso no porta-malas do carro". Já imagina no que deu, né? Eu fiquei presa um tempão, chorando e gritando porque o meu lindo irmão não conseguia abrir o tal porta-malas nem tinha coragem de ir contar pro meu pai a "arte" que ele tinha feito...uma pérola na minha vida! Kkkk Beijos! E feliz dia do Irmão pra você e pra Marina! :)

    ResponderExcluir
  5. Ai, Teca, eu tive que dar uma passada nesse post só para entender a história e quase chorei de tanto rir! Hahahahahaha

    Na verdade ainda estou achando hilário toda essa situação. A minha irmã do meio é igual a sua irmã, mas ela aprontava com minha irmã mais nova. Teve uma vez que ela colocou pimenta na chupeta da menina (ela era bebê!)... Deu uma dó... Hahahahaha

    Mas as histórias foram ótimas!
    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir