quinta-feira, 19 de julho de 2012

"Mi Buenos Aires Querida"


Oi, gente linda! A vida real chama de volta, aliás, grita, e eu precisava voltar para a minha querida e quente cidade. É bom viajar, passear e conhecer outros lugares e culturas, mas não há nada no mundo como voltar para casa, para a sua própria cama e, também, para o seu guarda-roupa, haha. Dorothy, de O Mágico de Oz, já dizia “Não há lugar como nosso lugar”.

Em Buenos Aires estava tudo muito lindo, tudo muito agradável e tudo muito frio. Quase congelei. Pensei que ia perder meus dedos. Acho que eu nunca senti tanto frio na vida. Eu, como moradora de Cuiabá e friorenta convicta, sou fã de calor e percebi que eu NÃO estou preparada para neve. Se eu morasse numa cidade fria, ia ser a pessoa mais infeliz do mundo.


Mas, enfim, as minhas impressões de Buenos Aires são muito boas. A cidade é muito bonita. A arquitetura é muito diversificada. É o novo com o velho em todos os lugares. Em frente ao meu hotel (chamava Uno Suítes, muito bom, por sinal. Recomendo) tinha um prédio todo estilo rococó antigo, com cara de ter uns 200 anos, e, ao seu lado, tinha outro super moderno, envidraçado e espelhado. Tem como não amar um lugar como esse?

Congresso (que fica praticamente desabitado, assim como no Brasil)

 As construções oficiais, como o Congresso, a Casa Rosada, os tribunais e as universidades são super antigos. Tem um ar todo elegante europeu. Bem que me diziam que eu me sentiria quase na Europa (não foi para tanto, mas tudo bem).

Uma das coisas que eu mais gostei foram as praças, os jardins e as avenidas largas e arborizadas. Eu gosto muito de planta e achei tudo muito bem cuidado. Na Recoleta, que é uma área mais nobre, tem uns jardins incríveis com pista de caminhada e de bicicleta. Eu pensei em como deve ser gostoso morar ali e chegar em casa depois de um dia estressante de trabalho, pegar o seu cachorro e andar até esquecer todos os problemas do mundo. 

O Jardim Japonês, na região de Palermo, é muito lindo. Fiquei impressionada. Achei engraçado que lá, numa região argentina com nome italiano, num jardim asiático, tinha uma japonesa, que falava português perfeitamente. Isso é o que eu chamo de globalização.

Eu e o Caio no Jardim Japonês

A Calle Florida, pólo de compras, é muito legal. Lá é onde fica a famosa Galeria Pacífico. Me disseram que os preços na Argentina eram muito bons, mas eu não achei grandes coisas. Tudo meio igual ao Brasil, ou seja, caro. Nesse ponto fiquei decepcionada. Até o couro estava com preço meio salgado.

Vista interna da Galeria Pacífico

A Avenida 9 de Julho me remeteu a Nova York. Ela lembra um pouco a Times Square e a Broadway, claro que tirando as devidas proporções. Muita luz, muitos painéis, muita gente, muitos shows e muitos teatros. Assisti ao show do Tango Porteño e achei sensacional. Dança, música e super produção.

Teatro Colon na Av. 9 de Julho

Puerto Madero é lindo também. Na beira do Rio de La Plata, há prédios mais modernos e muitos restaurantes tradicionais, chiques e, digamos, caros.

Vista em Puerto Madero

O Caminito (aquele lugar todo colorido com um monte de casinhas amarelas, vermelhas, verdes, azuis e outras) é bem tradicional e vale uma visita. É uma gracinha por lá, apesar de ser numa região bem pobre. Perto dele, tem a Bombonera, o estádio do time Boca Juniors, que é muito divertida. Estava cheio de brasileiros e corinthianos rindo e esfregando na cara dos argentinos que o Romarinho fez gol ali. Também fui ao Monumental Nuñez, que é o estádio do time River Plates. Muito grande e bonito, um estádio muito bem organizado.

La Bombonera atrás do gol onde o Romarinho fez gol

Caminito

O lado ruim de Buenos Aires foi que eu achei que a pobreza está à espreita em toda esquina. A economia lá está em ruínas. Vi muitos mendigos, pedintes e gente dormindo na rua. Me partia o coração ver mães com crianças deitadas na calçada em noites tão frias. Fora que a cidade também estava muito suja, o que eu descobri ser porque os garis estavam em greve.

Faltou falar muita coisa sobre Buenos Aires, principalmente sobre o zoológico de Lujan, mas, ele é tão legal que merece um post exclusivo amanhã.

Buenos Aires é muito bonita, divertida, viva e caótica. Merece uma visita. Recomendo.

Teca Machado

2 comentários:

  1. Buenos Aires é tudo de bom!

    Lembra que eu sempre falo que é um lugar que eu adoraria passar a lua de mel (sim, mesmo sendo tão fria!)?! hehehe!

    Quanto aos preços, infelizmente essa não é melhor época para compras! =/

    Mas tudo lá acaba compensando! As pessoas são incríveis e muito, muito prestativas! Meu encanto também ficou por conta da arquitetura e principalmente das combinações deliciosas de cores da Rua Caminito!

    Quando tiver a oportunidade de voltar, quero conhecer o Tierra Santa Parque Temático, um pedacinho da Jerusalém bíblica em pleno centro de Buenos Aires!

    ResponderExcluir
  2. Arquitetura muito rica e bem conservada.As ruas largas e bem projetadas demonstram um compromisso com Planejamento.
    Redes de energia subterraneas não somente no Centro mas em varios bairros valorizam ainda mais esta arquitetura.Aliás presente inclusive no Cemiterio da Recoleta, um valoroso conjunto arquitetonico.
    Apesar da decadencia de uma época ( já foi a quinta economia do mundo na decada de 50, teve o primeiro metrô em 1913), Buenos Aires dá sinais de reação , presente na modernização de Puerto Madero, uma operação urbana consorciada bem sucedida.
    Importante destacar que fui bem recebido em todos os lugares, a rivalidade creio fica mesmo somente no Futebol. Reconhecem a importancia do Brasil hoje.
    Ah, o show de tango , sem chover no molhado achei fantastico, tudo muito profissional , um verdadeiro musical.
    Recomendo B Aires e torço pra reação dos Hermanos, afinal queremos uma America do Sul mais forte !!!
    Teomar Magri

    ResponderExcluir