segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Freedom, beauty, truth and LOVE


O post de hoje é especial. É o número 50! Eu já disse que quando comecei o blog, foi meio despretensiosamente. Não achei que ia ter disciplina para escrever todos os dias e nem que as pessoas iam ler e comentar. Agora cheguei a 50 posts e estou achando tão pouco! Fiquei apaixonada por isso aqui. Faço com o maior prazer do mundo. 

Para comemorar, hoje vou falar sobre um dos meus filmes preferidos: Moulin Rouge.


Já aviso: é um musical mulherzinha. Chega até a pingar açúcar da capa do DVD.

“The greatest thing you’ll ever learn is just to love and be loved in return”. Essa é a frase principal do filme. Repetida várias vezes durante as mais de duas horas de Moulin Rouge, ela é a essência de todo o enredo.

Passado na luxuriante Paris de 1900, onde os ideais boêmios de liberdade, beleza, verdade e amor estavam em todas as esquinas, o Moulin Rouge, casa de shows, mulheres bonitas, bebida e música, era o destino preferido dos homens da sociedade francesa. 

"Because we can cancan"

Satine (Nicole Kidman linda, ruiva e divertidíssima) era a cortesã mais desejada e a estrela do bordel. Mais do que prostituta, ela era uma atriz. Fazia com que os homens acreditassem que ela realmente os amava. Mas o amor era algo fora da sua realidade. Até que apareceu Christian (Ewan McGregor, ator e cantor sensacional). Um escritor sem um centavo no bolso que por uma confusão conhece Satine. Ele a ensina a amar e os dois começam um relacionamento. 

Nicole Kidman e Ewan McGregor em cena de Moulin Rouge

Ao mesmo tempo, eles precisam esconder que se amam, pois a prostituta tem um contrato de exclusividade com o Duque, um patrocinador que está transformando o bordel em um teatro. 

Moulin Rouge é dirigido por Baz Luhrmann. Seu estilo é marcado por cenas rápidas, com muitos cortes, muita cor, muito som, muito movimento. É psicodélico a ponto de deixar o espectador um pouco tonto. Cenário e figurino são lindíssimos (O vestido vermelho que ela usa é TÃO lindo que eu quero fazer um no branco e casar vestida com ele!)

Teatro produzido pelo Moulin Rouge

A trilha sonora de Moulin Rouge é uma das melhores que eu já ouvi. O filme tem músicas originais e outras já conhecidas. Os atores interpretam canções de A Noviça Rebelde, Elton John, Whitney Houston, Madonna e Nirvana. Mistura improvável que deu certo. Uma das mais bonitas, Come What May, é uma das minhas preferidas EM TODO O MUNDO.

Logo na primeira cena do filme há um vislumbre do final, é possível saber que o fechamento não será dos mais felizes. E você pensa “Poxa, que chato! Já sei como termina!”. Mas a história vai passando e você esquece daquilo que viu no início, torce pelo casal e se emociona no clímax. Eu choro quase todas as vezes que assisto (E olha que eu já assisti mais de 30 vezes. Juro. Meu pai comprou o DVD na época que ainda era caro porque disse que seria mais barato do que alugar tanto).

Lady Marmalade - Música tema de Moulin Rouge

É o tipo de filme que ou você ama ou odeia. Não existe meio termo quando se fala de Moulin Rouge.

Recomendo.

Teca Machado

P.S.: Beijo para a Xandinha que me deu a ideia do post hoje! ;*

2 comentários:

  1. Tecaa adoreiii!! Este filme é um classicoo.. lindo demaais!!!

    adoro seu blog =***

    ResponderExcluir
  2. Amei o post Tequinha! E amo o filme também, principalmente a direção de arte e fotografia, tudo muito lindo! Parabéns pelo post 50! ;***

    ResponderExcluir