sábado, 18 de agosto de 2012

Gosto de nostalgia e ogro/duende/ser indeterminado

Quem tem mais ou menos a minha idade (24 anos) deve se lembrar dessa frase que marcou a infância de muitos de nós: “Não tem chororô, esse jogo acabou!”.

 A maior diversão DO MUNDO era no final da tarde, depois da escola, ficar assistindo a TV Cultura (Ou seria TV Gazeta?) para ver o programa do Hugo.

"Não tem chororô, esse jogo acabou!"

O Hugo era um ogro/duende/ser indefinido que de tão feiosinho era uma graça. Ele vivia numa floresta encantada e teve a família sequestrada pela bruxa Maldícia (tão má que até o nome dela tem maldade). Então, as pessoas tinham que ligar para o programa para jogar o joguinho (olha o pleonasmo...) utilizando os números do telefone e ajudar o Hugo a encontrar outra vez sua esposa.

A bruxa Maldícia

Apesar de ter que apertar só para direita, esquerda, pular e abaixar, era muito difícil. A criançada quase nunca chegava à fase final. Não me lembro de muitas vezes que o telespectador zerou o jogo e ajudou o Hugo.

Gente, o sonho da minha infância era participar do programa do Hugo. Mas era quase impossível! A linha do telefone estava sempre ocupada e congestionada. Um dia, recorde de ligações, a emissora recebeu 170 mil (!) chamadas, isso num programa que durava pouco, mais ou menos meia hora.

Visual do Hugo para iPhone e Android

Uma vez um amigo meu me disse que conseguiu participar. Diz que ficou tão nervoso que nem conseguia apertar o botão do telefone direito e perdeu logo de início. Mané! Haha.

Enfim, falei tudo isso para situar vocês porque os órfãos do programa do Hugo não precisam mais ficar tristes. Agora o jogo está no celular. Chama Hugo Retro Mania.

Hugo correndo pela mina para salvar a sua família

Virou o meu novo vício da semana (São tantos aplicativos sensacionais que eu troco de preferido semanalmente!). Fico um tempão jogando o Hugo. Tem o modo corrida, como era na televisão, e o modo labirinto.

O mais legal de tudo é que é igualzinho o original. Até a voz dele acho que é a mesma. 

Ele explode quando você pisa na bomba.

Para IOS e Android, ele é pago (Ahhhh!), mas, para a noooooossa alegria, é baratinho. Custa U$1, o que não dá nem R$2.

Imaginem a felicidade dessa criança quando descobriu que existia o aplicativo! Dei pulinhos e gritei “Viva! Viva!” algumas vezes.

É para ficar com um gostinho de nostalgia na boca.

Recomendo.

Teca Machado 

Um comentário:

  1. Teca do céu eu adorava assistir esse programa, já baixei o joguinho.
    Adorei o post nostalgia rs
    Beijos
    Jana

    ResponderExcluir