quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Motoristas, tremei!

Antes de começar, preciso agradecer a cada um que entra aqui no blog. Ontem alcancei cinco mil visualizações e estou saltitando de alegria.

Vocês são uns lindos!

Obrigada de coração pelas visitas, pelos comentários e pelo feed back tão legal que eu estou tendo.

Agora voltando à programação normal...

Preciso confessar uma coisa. Eu sou meio barbeira. Meio bastante. Tenho carteira de motorista há quase cinco anos (Ela vence em outubro. Alguém me lembra de renovar quando chegar a hora, por favor?), mas a minha noção de espaço não é das melhores. Não sei fazer baliza até hoje e meu cérebro não consegue entender que quando você está andando de ré, esquerda é direita e direita é esquerda.

Meu pai começou a me ensinar a dirigir um pouco antes de eu fazer 18 anos. Mas eu era ruim. Muito ruim. Eu e ele, que somos super tranquilos um com o outro, vivíamos gritando nas minhas aulas motorísticas. Um dia, eu estava dirigindo e um muro começou a vir para cima de mim em alta velocidade! Eu, no desespero, ao invés de frear ou virar a direção, continuei acelerando, tirei a mão do volante, tapei os olhos em desespero e comecei a gritar. Meu pai puxou o freio de mão, deu uns berros comigo e decidiu que pelo bem do nosso relacionamento seria melhor outra pessoa me ensinar.

Fiz 18 anos e nada de tirar a carteira. Fiz 19 anos e nada. Acho que meu pai estava me enrolando porque ele não tinha coragem de colocar um carro na minha mão. Fiz 20 anos e cadê a minha CNH? Quando eu estava quase com 21, entrei na auto escola.

Feliz da vida, fiz as insuportáveis aulas teóricas, fiz as aulas práticas e o seo João, um senhor muito do calmo e completamente maluco, me ensinou a dirigir. Comentário pertinente: na minha primeira aula o doido do seo João me levou para dirigir na rodovia. Sim, rodovia. Falei: 

-Seo João, mas e se eu bater nessas carretas? 
- Bom, aí a gente morre. Então é melhor tomar cuidado. 

Nada como uma pressão, né?

No dia que fui fazer minha prova prática, eu reprovei na baliza. Chorei dois dias seguidos.

15 dias depois refiz o teste. Era 22 de dezembro. Estava fazendo muito bem a prova, mas muito, muito tensa. Na hora do percurso, tinha placa do Pare e eu só desacelerei porque não vinha ninguém. Aí o cara falou:

- Você não parou. Está reprovada.

Nesse momento, meu lado mulherzinha e persuasivo entrou no modo hard:

- Moço, eu não posso reprovar de novo! Meu pai vai me matar. Foi só uma coisinha de nada. Eu estava muito nervosa.

Nesse momento, percebi que teria que apelar. Com olhos grandes e cheios de lágrimas falei:

- Cadê o seu espírito natalino, moço? Hoje é dia 22 de dezembro. Você já fez a sua boa ação do ano? Está na hora da fazer, né? Meu erro nem foi tão grave. Por favoooooor. Eu não quero que o meu pai me mate antes do Natal. Você quer ter um assassinato em suas mãos?

Resultado: Em poucos dias peguei a minha carteira.

Mas meu pai demorou quase um ano para me deixar andar de carro. Aí, numa das primeiras vezes que saí sozinha, um ônibus bateu em mim. Da outra vez, eu voltei na rampa e bati num ônibus que estava atrás de mim. Há uns três anos eu acertei a parede da minha garagem (que é gigante, cabe quatro carros e eu estava sozinha nela). E, mais recentemente, há uns três meses, derrubei uma motoqueira. Fora os arranhões de praxe na lataria. Mas eu não sou tão ruim assim, juro.

Todo esse papo sobre carteira de motorista foi para dizer que eu estou muito feliz. Troquei de carro! O meu primeiro “bebê” foi o Incrível Hulk, um Honda Civic verdinho como o personagem, que ficou comigo um ano e meio. Agora eu tenho um C3 preto chamado Bruce Wayne. Batman para os íntimos. VALEU, PAI! LOVE U! OBRIGADA PELO PRESENTE!

Me despedindo do Incrível Hulk: Tchau, neném da mamãe!

Abraçando o Bruce Wayne, SEU LINDO!

Teca Machado

6 comentários:

  1. kkkkk, Teca, ri demais e confesso que minhas experiencias no detran pra conseguir a CNH também foram traumáticas. AMEI seu texto, serei fa assumida do blog, super beijo e sucesso.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que pela primeira vez li o seu Blog e adorei! Desculpa não dar mais atenção nessa parte da sua vida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Marcela estou com medo de dirigir com você nas ruas desse Cuiabá.

    ResponderExcluir
  4. Amei esse post! Pura identificação da minha parte hauahuahauh

    ResponderExcluir
  5. Tecaa,
    ri litros aqui com as suas aventuras!!!
    Parabens pelo presentee!!!

    obs: pelo menos vc dirige ne?! eu tenho carteira e tenho medo de dirigir x)

    ResponderExcluir
  6. E eu preocupada com a Bel! Huahuahuahua

    ResponderExcluir