terça-feira, 6 de novembro de 2012

6 graus de separação: Idas e Vindas do Amor


Continuando o post de ontem sobre os seis graus de separação, hoje vou falar sobre o filme Idas e Vindas do Amor. Apesar do estilo ser parecido e eu ter colocado tudo na mesma “série” de posts, ele e Simplesmente Amor não são continuações. Nem ao menos são dos mesmos produtores (Como durante muito tempo pensei que fosse). Acredito que foi tipo uma cópia no melhor estilo “Se deu certo nos estúdios da Inglaterra, vai dar em Hollywood também”. Deu certo sim, mas não tanto quanto o seu irmão inglês.


Assim como o Simplesmente Amor, ele conta a vida de um grupo de pessoas em torno de uma data especial, nesse caso o Dia dos Namorados americano (14 de fevereiro). Dessa vez, é ambientado em Los Angeles e passa em apenas um dia. 

Um floricultor apaixonado pede a mão da noiva em casamento, mas ela tem dúvidas quanto ao matrimônio. Uma professora, melhor amiga do floricultor, namora um médico misterioso que tem uma segunda família. Um menino, apaixonado pela professora, quer de todos os jeitos lhe dar um presente ideal nessa data. Um jovem casal está tentando fazer sexo pela primeira vez, mas sempre tem um inconveniente. Uma oficial do exército americano está num voo de 14 horas para Los Angeles apenas para ver a pessoa que ama na noite do Dia dos Namorados. Um relações públicas organiza uma festa anti-amor que é um fracasso/sucesso. Essas e algumas outras são as histórias que acontecem e se cruzam nesse filme.

Se conhecem no avião e se ajudam dando conselhos.

Muitas das personagens mulheres são as românticas incuráveis de sempre. Em alguns casos, são os homens, como o papel de Ashton Kutcher. Só que é legal ver que algumas, como a Jéssica Biel, são o contrário disso tudo, mas que, é óbvio, acabam se rendendo aos poderes e delícias do amor. Levamos alguns sustos, pois algumas histórias levam um rumo completamente inesperado (Que eu não posso dizer quais são senão perde a graça).

Alguns personagens têm finais felizes, outros nem tanto e alguns nem um pouco, como acontece na vida. Mas, ainda assim, é uma comédia romântica, então o “bem triunfa” aparece muito mais.

Melhores amigos. Você já imaginou onde isso vai dar, né?

O elenco é um dos mais recheados de estrelas possíveis (Reparem que eu disse estrelas, não talentos): Jessica Alba, Jessica Biel, Bradley Cooper, Eric Dane, Patrick Dempsey, Hector Elizondo, Jamie Foxx, Jennifer Garner, Topher Grace, Anne Hathaway, Queen Latifah, Shirley MacLaine, Emma Roberts, Julia Roberts (Que ganhou U$6 milhões para não aparecer nem por dez minutos), Taylor Lautner, Taylor Swift (Totalmente chata e desnecessária), Ashton Kutcher e outros. Algumas atuações são muito boas e outras são sofríveis, mas você tem que relevar isso e ver o filme como um todo.

O casal mais chato EVER.

Posso dizer uma coisa sincera? Do fundo do meu coração? Eu gostei de Idas e Vindas do Amor. Ele é bem legal e divertido. Dá para dar umas risadas e tudo o mais. Bom para passar o tempo. Mas, em comparação ao Simplesmente Amor, ele é tão comercial, tão superficial. As histórias são menos profundas, menos sensíveis, menos emocionantes. Você não acredita nem por um momento no amor dos personagens e nem sente um aperto na garganta quando dá errado. E olha que o foco é mais o amor romântico. Parece que foi um filme feito apenas para arrecadar dinheiro e alavancar as vendas das flores (Que aparecem de cinco em cinco minutos). 

Jessia Biel e sua festa anti-amor. Um dos melhores momentos do filme.

Recomendo, apesar de que você provavelmente vai preferir Simplesmente Amor.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário