terça-feira, 19 de março de 2013

Amor, jornalismo e Nova York – Um Romântico Incorrigível


“É um livro, é sobre amor, é com um jornalista e passa em Nova York. Tem como a Teca não gostar?”, foi isso o que a Ângela, minha amiga, disse que pensou ao comprar o livro Um Romântico Incorrigível para mim. E sim, ela estava completamente certa: Eu amei! Já tinha visto a obra nas livrarias e me apaixonado perdidamente pela capa divertida e simbólica. Só não tinha comprado ainda porque tinha outros livros na minha “pequena” fila. Sorte que eu ganhei. Obrigada, Ângela!


Que atire a primeira pedra quem nunca ficou encalhado um tempinho ou quem nunca tenha levado um fora. Gavin, um jornalista nova-iorquino de 37 anos, que o diga. Um desastre no amor, completamente sem jeito com as mulheres e um tanto exigente, ele lida com a felicidade alheia todos os dias da sua vida, pois tem uma coluna sobre casamentos no fictício The Paper, o jornal número 1 dos EUA. E escrever sobre o amor e não tê-lo em sua vida está matando o protagonista por dentro. Assim ele começa a procurar a sua alma gêmea.

Até que no dia de Ano Novo, em uma festa lotada e péssima, Gavin conhece a estonteante e divertida Melinda, uma jornalista de viagens. Óbvio que ele se apaixona perdidamente. Eles passam alguns momentos mágicos no terraço de um prédio. Bundão Covarde Tímido do jeito que é, Gavin não pede o telefone da garota e ela simplesmente desaparece.

Arrependido e na busca por Melinda em uma cidade com mais de oito milhões de habitantes, ele tenta colocar em prática os conselhos de noivos que entrevista. Sendo que o melhor é: “Se deixar alguém tirar seu chão, é melhor que esteja preparado para cair de bunda depois”. Isso é um sinal claro de que ele vai se atrapalhar mais ainda do que antes.

Um Romântico Incorrigível é engraçado, doce, sensível e até bem realista. O autor é Devan Sipher, que, assim como Gavin, escreve na coluna Vow (Voto de casamento) do jornal New York Times. É tão bom porque ele tem conhecimento de causa. Seria uma autobiografia?

Devan Sipher, o Gavin da vida real

Fininho (250 páginas) é uma leitura prazerosa e gostosa. Apesar de descrição ser super mulherzinha, o livro também é para homens. Narrado em primeira pessoa por Gavin, é bom saber que ainda há homens românticos no mundo, que querem uma alma gêmea e que fariam de tudo (Tudo mesmo. Vocês não imaginam o que o Gavin faz no final do livro) por ela.

Sempre digo que penso como Lisbela, de Lisbela e o Prisioneiro. “O importante não é o que acontece, mas como acontece”. E é isso em Um Romântico Incorrigível. O desfecho do casal é claro desde o início, mas como chega a esse ponto é bem divertido e diferente. Eu não imaginaria.

Algo que gostei bastante foi que o autor constantemente fala de música, cinema e televisão “de verdade”. Cita programas e cantores reais, o que deixa a narrativa ainda mais palpável

Detalhe super amor: Cada capítulo tem um título divertido e fora do comum. Eles estão inseridos num balão como da capa, o que deixa tudo mais bonitinho.

Um Romântico Incorrigível daria um ótimo filme de comédia romântica no melhor estilo Vestida Para Casar.

Recomendo.

Teca Machado

2 comentários: