quinta-feira, 21 de março de 2013

Por que ler dá sono?


Muita gente fala para mim que não gosta ou que não consegue se apaixonar por livro nenhum porque ler dá sono. Até eu, uma leitora voraz/compulsiva/viciada/louca, também fico com sono em alguns dias, já que leio principalmente antes de dormir. A atmosfera do quarto só com abajur, o ar condicionado ligado, o edredom quentinho, ter trabalhado o dia todo e ser tarde da noite, de vez em quando é uma combinação fatal para o livro e não consigo passar muitas páginas (Mas geralmente isso não acontece, porque tenho o péssimo costume de ler até de madrugada, mesmo tendo que acordar cedo no outro dia).

Livros são mais do que aconchegantes

Essa semana, folheando a Revista Superinteressante de janeiro vi essa matéria falando sobre isso e achei bem legal para compartilhar com vocês:

Por que ler dá sono? – Por Cristine Kist

O problema não é a leitura, é você. E a hora em que resolve abrir o livro.

Não é ler um livro que dá sono, claro, mas substâncias químicas que agem no corpo. Uma delas é a adenosina, que se acumula ao longo do dia. Quanto mais adenosina, maior o sono, explica Fábio Haggstram, diretor do Centro de Distúrbios do Sono do Hospital São Lucas, de Porto Alegre. Ou seja, o problema, na verdade, é a hora da leitura. Experimente ler em outro horário. Você pode até sentir preguiça, não conseguir nem virar a página e se entediar. Mas não terá sono.

Quem nunca dormiu com o livro na cara?

Já a segunda substância envolvida é a melatonina. Ela regula o sono, pois é liberada quando o ambiente escurece. Por isso dormimos, normalmente, à noite. E, como a luz inibe a produção de melatonina, quem lê no tablet, por exemplo, tende a sentir menos sono do que quem lê no papel. É por esse mesmo motivo que é mais fácil passar horas na internet ou vendo televisão do que ler um bom livro de madrugada. Não se sinta culpado se a TV estiver mais agradável às 4h.

Três dicas para não dormir - Ponha a leitura em dia antes de cair no sono

1. Começou a bocejar? Levante e dê uns pulinhos. Estar acordado é reagir a estímulos, e esse pequeno exercício nada mais é do que um estímulo motor. De quebra, vai ajudar a quebrar a monotonia.

2. Ler em voz alta exercita outras partes do cérebro, como o lobo temporal (relacionado à audição) e o lobo frontal (relacionado à produção da fala), e vai acabar com aquela preguiça momentânea.

3. Leia sentado. É lógico: a não ser que você tenha problema na coluna, é mais difícil dormir sentado do que deitado, já que, para dormir, é preciso relaxar toda a musculatura, o que não ocorre sentado.

Sim, sono, tenho mais o que fazer!

Espero que com essas dicas, você possa e consiga ler mais e mais e mais e mais e mais...

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário