sexta-feira, 7 de junho de 2013

Eurojobs Project: 33 empregos em 33 países

Últimos dias para participar do sorteio do novo livro do Dan Brown, Inferno, em comemoração ao primeiro aninho do blog. Entre aqui para saber mais sobre isso. Corre que ainda dá tempo!

Muitos jovens, após terminarem a faculdade, não têm a mínima ideia do que fazer da vida. Acontece mais do que a gente imagina. Eu dei a sorte de ter sempre em mente bem claro o que queria ser: Escritora e jornalista. Não tive dificuldade nenhuma para escolher a profissão. Foi algo que sempre esteve dentro de mim, desde que eu me lembro, mas acho que fui meio que exceção.

Jan Lachner, um franco-alemão de 25 anos, foi um desses que não sabia o que fazer. Então, fez de tudo. Tudo mesmo. Em 2011, depois de um estágio na sua área de atuação, engenharia de aeronáutica, ao invés de se dedicar ao emprego e ter uma carreira em linha reta pelo resto da vida, resolveu criar o Eurojobs Project (Projeto Empregos na Europa). É bem simples: Ele busca empregos de uma semana em todos os países europeus (Que, além dos 27 países membros da União Europeia, ele incluiu Islândia, Noruega, Liechtenstein, Suíça, Croácia e Mônaco). Ao todo, são 33 países e até o momento 32 empregos. Só falta um, na Itália.

Confeiteiro em Liechtenstein, arqueólogo na Grécia, pescador em Malta; alguns dos 32 empregos de Jan Lachner pela Europa (Foto: Jan Lachner/Association Euro Jobs Project)

Em entrevista ao G1 (Minha fonte da vez), ele disse que queria saber o que mais estava lá fora, que outros trabalhos havia. Queria ter a visão de alguém de dentro, com experiências em primeira mão, ampliar os horizontes e conhecer sinergias diferentes.

O Eurojobs Project nunca teve a intenção de fazer fortuna, pelo contrário. Na maior parte das vezes ele trabalhou como voluntário. Apenas um terço dos empregadores deu alguma compensação financeira. Segundo ele, a motivação foi a vontade de descobrir as características específicas de cada país europeu e os fatores que unem cada uma das nações do continente em torno da "identidade europeia".

Limpando um aquário de tubarões no Reino Unido (Foto: Jan Lachner/Association Euro Jobs Project)

Jan não sabe quanto já gastou. Além do pouco que afirma ter na poupança no início das viagens, ele contou com a hospedagem gratuita da comunidade virtual Couchsurfing e com doações feitas por meio de seu site (Esse aqui). As viagens foram feitas de avião, ônibus, trem ou pedindo carona nas estradas.

Por questões logísticas e financeiras, o projeto foi feito em partes. "É impossível, por causa da carga de trabalho, fazer um país atrás do outro sem qualquer intervalo. Preciso encontrar o emprego, achar acomodação. E eu fico hospedado com pessoas, então não é como chegar e sair de um hotel", disse.

Consertando um carro na Noruega (Foto: Jan Lachner/Association Euro Jobs Project)

Na Itália, seu último ponto de parada, Jan gostaria de trabalhar na área de moda ou de couro. Enquanto não consegue, o rapaz de muitos empregos voltou à sua cidade de origem, Paris, onde tenta dessa vez conseguir um trabalho “de verdade”. Seu sonho é se tornar piloto de avião, mas diz que ali não há vagas na profissão. Fora que os cursos chegam a custar 100 mil euros, cerca de R$ 230 mil. 

Sua dúvida atual é escolher entre trocar de carreira e permanecer em Paris ou mudar de cidade, país ou continente atrás da profissão que escolheu. De acordo com a reportagem, ele não descarta nem o Brasil, onde gostaria de trabalhar em empresas como a TAM e a Embraer, apesar de considerar difícil conseguir emprego sem o domínio do português (Nos comentários da matéria no G1, fiquei dando risada sozinha. Um dos usuários disse que se ele viesse para o Brasil, certeza que seria traficante ou flanelinha).

Preparando equipamento para fabricar cerveja na República Tcheca (Foto: Jan Lachner/Association Euro Jobs Project)

Abaixo a lista de todos os empregos de Jan:

1- Malta: pescador
2- Chipre: agente de turismo
3- Espanha: professor de flamenco
4- Irlanda: barman
5- Luxemburgo: corretor de imóveis
6- Suíça: luthier do chifre alpino, instrumento musical de madeira
7- Liechtenstein: padeiro
8- Eslovênia: colaborador de um festival
9- Grécia: arqueólogo
10- Bulgária: recrutador
11- Áustria: assistente de marketing
12- República Tcheca: cervejeiro
13- Eslováquia: assistente de negócios
14- Hungria: funcionário de spa
15- Romênia: fazendeiro
16- Croácia: palestrante
17- Polônia: funcionário de hotel
18- França: assistente de um deputado europeu
19- Lituânia: joalheiro
20- Letônia: voluntário de ONG
21- Estônia: funcionário de zoológico
21- Finlândia: guarda de parque
23- Suécia: decorador de interiores
24- Dinamarca: engenheiro de teste de turbinas eólicas
25- Holanda: funcionário de logística em floricultura
26- Islândia: assistente de fotógrafo
27- Alemanha: cuidador de idosos
28- Noruega: mecânico de automóveis
29- Mônaco: aprendiz de chef
30- Bélgica: comentarista de rádio
31- Reino Unido: funcionário de aquário
32- Portugal: funcionário da indústria de cortiça
33- Itália: a definir

E você? Gostaria de sair rodando a Europa procurando um emprego diferente em cada lugar? Deve ser no mínimo nada entediante.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário