sexta-feira, 14 de junho de 2013

O Guardião – Nicholas Sparks com suspense

Ainda nessa vibe amorosa da semana do Dia dos Namorados, vou comentar o último livro do nosso amado, idolatrado, homem dos sonhos: Nicholas Sparks. Apesar de nos Estados Unidos ter sido lançado em 2003, O Guardião foi lançado no Brasil mês passado. E os meus pais, sabendo o quanto eu sou louca pelos livros do autor, me deram de presente. Estou com uma lista de espera de 10 livros e mesmo assim passei esse na frente, afinal, é Nicholas Sparks, né?


Então, pode-se dizer que O Guardião é mais do mesmo, mas com pontos surpreendentes. Sim, tem um amor de dar inveja a todas as mulheres do planeta. Sim, tem um pouco da tragédia. Sim, tem diálogos amorosos tão lindos que nunca aconteceriam na vida real. Sim, tem um protagonista homem que faz você se apaixonar. E, sim, acontece na Carolina do Norte (Acho que vou me mudar para lá, porque de acordo com o Nicholas Sparks há uma grande concentração de homens lindos/românticos/sexys nesse Estado). Mas ainda assim é uma obra diferente, pois ele coloca elementos de suspense e ação, o que só havia tido em Um Porto Seguro, um dos meus preferidos (Comentei aqui).

Em O Guardião, Julie ficou viúva. Depois de apenas cinco anos de casada, seu marido Jim falece por causa de um tumor no cérebro. Na véspera da Natal, poucos meses após a sua morte, ela recebe em casa uma encomenda: Um cão dinamarquês. Jim, sabendo da morte iminente, deixou organizado para que ela recebesse o presente depois que ele partisse (P.S.: Eu Te Amo feelings). Julie se apega ao cachorro, que chama de Singer, e ele passa a ser seu companheiro mais fiel.

Essa "pequena" criatura é um dinamarquês.

Quatro anos se passam e Julie finalmente sente que pode seguir em frente. Conhece o engenheiro Richard, que não mede esforços para fazê-la feliz. Ao mesmo tempo, tem Mike, o melhor amigo de Julie, que sempre foi apaixonado por ela. Enquanto tenta decidir com qual vai se relacionar, situações estranhas acontecem (Calma, não é de sobrenatural. É de seres humanos malucos e desequilibrados mesmo).

A história é verossímil. O amor entre o casal (Que eu não vou dizer qual é para não ser spoiler) é real, é doce, é fácil de acontecer. As perseguições também (Que eu não vou dizer quais são para não dar spoiler). A relação de Julie com Singer é super amor. Tudo isso pode acontecer com qualquer um. Do jeito que estamos expostos hoje em dia, ainda mais com internet e redes sociais, é altamente provável passar por situações assim (Tirando as devidas proporções, eu mesma já passei pelo caminho de uns doidos...).

O Nicholas Sparks aparece tanto aqui que todo mundo conhece a cara dele já

Enfim, Nicholas Sparks soube prender a atenção do leitor em O Guardião mais do que nos seus outros livros. A principal diferença é o tom de suspense real e a melação de amor bem mais contida. Não são páginas e mais páginas de declarações de amor, o que pode agradar àqueles que não gostam tanto de coisas cuti cutis. As cenas de ação do final me deixaram com a respiração parada em alguns momentos. Eu mesma fiquei com o corpo todo tenso (Mais do que fico em filmes, porque a minha imaginação é muito fértil, vocês não têm ideia) e só relaxei quando terminou.

Mas, é claro, que Nicholas Sparks não consegue se segurar: Ele faz a gente chorar. Bastante. Confesso que eu até solucei (Mas para me fazer chorar litros, não é preciso de muito).

O Guardião é um livro muito bonito e bem construído, como é típico do autor. Personagens que você ama, vilões que você odeia e uma história interessante e fechadinha, sem furos. Nicholas Sparks é, sem dúvida, um dos meus autores preferidos (Meu e das mulheres do universo).

Recomendo muito.

Teca Machado

2 comentários:

  1. você chorou nesse livro?pq?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu tb chorei, mas ñ muito.
      tadinho do cachorrinho, eu tenho 4 amo animais, mas tem pessoas muito ruim

      Excluir