segunda-feira, 24 de junho de 2013

Top 10 Joguinhos para se viciar

Sabe quando você combina de sair com alguns amigos, é o primeiro a chegar e fica lá esperando sozinho? Ou quando o seu médico marca a consulta, mas só te atende 2h15 depois? Ou mesmo quando na televisão não passa nada que presta, você não está lendo nenhum livro e está totalmente a toa? Para esses momentos de marasmo que foram criados os joguinhos legais e aplicativos divertidos de smartphones. Eles deixam a vida menos chata.

Vou mostrar para vocês alguns viciantes e que vão deixar vocês com raiva de mim porque vão adorar e não vão mais conseguir largar:

1- Angry Birds



Porquinhos verdes malvados roubaram os ovos de passarinhos, que ficaram muito bravos e agora querem trucidar os porcos. O jogador precisa ajudar os pássaros bravos atirando-os com um estilingue em cima dos vilões. Crianças de 2 a 90 anos jogam e amam (O sucesso é tanto que virou um fenômeno de marketing. Tem desenhos, brinquedos, chaveiros – eu tenho um! -, mochilas, roupas...). É um jogo de estratégia.

2- Candy Crush



Uma espécie de Tetris com 1 bilhão de fases, o jogador precisa juntar no mínimo três doces iguais para “quebrar” o muro. Cada fase tem um objetivo diferente (E em algumas fases você empaca por semanas. É um saco!). É um dos maiores sucessos de jogos em smartphones no mundo todo. No momento é o mais baixado.

3- Fruit Ninja



O jogador é um ninja com uma missão muito importante: Cortar frutas! O motivo, ninguém sabe ao certo. As frutas começam a voar pela tela e você tem que passar a faca nelas, sem deixar cair nenhuma e ainda desviar de bombas. É um vício e extremamente relaxante. Bom para aqueles dias de raiva.

4- Where’s My Water?



Swampy é um jacaré bonzinho. Ele vive nos canos e esgotos no subterrâneo da cidade, mas gosta de ser limpinho e tomar banho. Só que os outros jacarés são malvados e acabam com a água do Swampy. Cabe ao jogador ajudá-lo a conseguir água para o banho cavando túneis (E coletando patinhos de borracha) que levam a água até o banheiro de Swampy. Jogo inteligente, gracinha e viciante.

5- Cut The Rope



Om Nom é um bichinho gracinha verde que come doces. Ele foi deixado na porta da sua casa dentro de uma caixa de papelão. Agora você precisa alimentar o Om Nom com doces, cortando a corda que segura a comida e jogando-o diretamente na boca do animal (Animal?). É um joguinho de estratégia extremamente inteligente e bonitinho.

6- Temple Run 1 e 2




É um jogo bom para quem quer desanuviar a cabeça e não pensar em nada. Um explorador no melhor estilo Indiana Jones roubou um ídolo pagão de um templo no meio do nada e agora tem que fugir de uns macacos voadores do mau. O jogador é quem orienta o explorador a correr para direita, esquerda, pular, abaixar, pegar moedas e tudo mais o que aparecer. O legal é que você consegue muitos pontos e se acha o bom (Meu record é 5,5 milhões, haha).

7- Rail Rush



Estilo Temple Run, a diferença é que Rail Rush passa dentro de uma mina abandonada e você tem que ajudar o escavador a pegar ouro e pedras preciosas escapando de obstáculos de madeira e falhas dos trilhos. Bom para não pensar em nada enquanto joga.

8- Chasing Yello



Matilda é a versão de videogame da Felícia. Ela tem um peixinho dourado, o Yello, que ama de todo o coração e abraços apertados. Yello, cansado dela, foge do seu aquário e vai para o rio. O jogador precisa ajudar o peixinho a fugir, enquanto pega estrelinhas que são bônus e pula pedras, madeiras flutuantes e fogo.

9- Hugo Retrô Mania



É a versão para smartphones do antigo Jogo do Hugo que passava na extinta TV Manchete quando eu era criança. Comentei sobre ele aqui.

10- Icon Pop Quiz



Descubra quem são os atores, cantores, personalidades, filmes e seriados com imagens icônicas que os representam. Comentei sobre ele aqui.


Espero que agora os seus momentos de tédio sejam menos chatos (E se você viciar gravemente em algum deles, por favor não brigue comigo. Lembre-se que somos viciados juntos!).

Se você tiver mais algum nesse estilo para me indicar, fique à vontade.

Recomendo todos.

Teca Machado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário