segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Quer um amor? Vá para a Carolina do Norte

Mulheres, vou dar uma dica para vocês: Estão solteiras? Se divorciaram? Viúvas talvez? Querem encontrar um homem lindo, querido, generoso, apaixonado e todas as qualidades possíveis e imagináveis num amor? Vão para a Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Porque é lá que, de acordo com o autor de romances Nicholas Sparks, se encontra 90% dessa raça masculina quase extinta. No último livro dele que li, chamado Uma Curva na Estrada, o protagonista, é claro, mora lá.


Nessa obra o subxerife Miles Ryan vivia uma vida plena e feliz ao lado da esposa Missy e do filho pequeno Jonah. Até que em uma noite, numa curva na estrada, tudo mudou. Missy foi atropelada, morreu e o motorista fugiu. Dois anos se passaram e Miles continuou atormentado pelo fato de nunca ter encontrado nem paz e nem justiça.

Jonah, então com sete anos, apresentou problemas na escola e Miles precisou conversar com a professora. Sarah Andrews, nova na cidade, divorciada e muito bonita, logo se encantou pelo pai do seu aluno e a recíproca foi verdadeira. Miles ajudou Sarah a consertar o seu coração despedaçado e Sarah ajudou Miles a seguir em frente e a abrir outra vez o seu coração.

Mulherada, a Carolina do Norte é esse laranjinha, tá?

Quando tudo parecia caminhar na mais perfeita ordem, o passado bateu a porta e mexeu com o equilíbrio estabelecido pelo casal. Mais do que deixar que os fatos antigos sejam esquecidos, essa é uma história sobre perdão.

Sendo bem sincera, eu gostei bastante do livro. Não se tornou um dos meus preferidos. Tem outros do Nicholas Sparks que eu gosto muito mais, como Um Porto Seguro (Aqui), A Escolha (Aqui) e Um Amor Para Recordar. É bonito, em alguns momentos faz a emoção florescer, mas não chegou a me fazer chorar (E olha que é super fácil me fazer derramar litros de lágrimas).

Uma das lindas praias da Carolina do Norte

Os personagens são bem construídos e são reais. Miles, apesar de ser mais um dos "homens perfeitos" criados por Nicholas Sparks, acaba sendo mais verossímil. Ele é um doce e um pai exemplar, mas tem seus momentos de raiva, frustração e tristeza. Grita, berra, age impulsivamente e chora. Do mesmo jeito que todo ser humano faz, por mais calmo que seja. Assim como Sarah, que por ter cicatrizes profundas é meio arredia quando o assunto é amor. Jonah é um fofinho, como são as crianças nos livros do autor. Ainda bem que ele nunca fala de crianças macabras, tenho medo delas, haha.

É uma leitura fácil, simples e rápida. Li em três noites antes de dormir e terminei. Como em quase todos os livros do autor, é uma história que poderia muito bem acontecer em qualquer lugar do mundo.

Aí o Nick (Já sou íntima depois da quantidade de livros dele que eu li. Posso chamar pelo apelido, haha)

Previsível, eu sei (Desvendei o mistério do livro na metade), mas geralmente romances são, ainda mais do Nicholas Sparks.

Vi num blog especializado em livros que a TNT comprou os direitos de Uma Curva na Estrada para fazer uma série de televisão. Não sei se é verdade, mas se for, vai ser interessante.

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário