segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Segunda-feira chick lit: O Bom Partido

Participe do sorteio do livro Como Passar em Provas e Concursos, de William Douglas. Saiba como aqui. Você só tem até amanhã ao meio-dia.

Quando vi a capa e o título do livro O Bom Partido, de Carly Phillips, gostei de cara. Claro que levei a obra para minha casa e a chamei de minha. Nunca tinha ouvido falar nela, mas mesmo assim me pareceu tão simpática que eu comprei. Só depois descobri que era o segundo livro de uma trilogia chamada Os Irmãos Chandler. Apesar de ter lido fora de ordem, isso não afetou o rumo da história, pois deu para entender tudo completamente, como acontece com a série do Myron Bolitar, de Harlan Coben (Comentei aqui).


Raina Chandler é uma mulher obcecada em casar seus três filhos e ter netos. Então, finge que tem sérios problemas cardíacos para que os seus meninos tenham compaixão dela e se casem logo. No primeiro romance da série, O Solteirão (Que não li ainda, mas acabei de comprar. Será meu próximo), sei que ela é bem sucedida na tarefa com um deles. Agora é a vez de a senhora voltar a atenção para o seu filho Rick Chandler, o policial mais cobiçado da cidade Yorkshire Falls.

Rick estava cansado. As mulheres do seu município pareciam que tinham enlouquecido. Todas corriam atrás dele (Ó, coitadinho do homem bonito e cobiçado!) e inventavam motivos absurdos para que ele pudesse salvá-las. Além disso, ele tinha certeza que muitas das situações embaraçosas em que era metido tinham o dedo da sua mãe. Quando recebeu o pedido de resgate de uma mulher vestida de noiva parada na rodovia sem gasolina, ele teve certeza que era cilada.

Kendall Sutton, a noiva em apuros em questão, apesar de estar vestida para casar, jurava que não queria se comprometer com ninguém e que casamento estava fora de questão. Tinha acabado de fugir do que seria o maior erro de sua vida. Isso a tornou uma namorada fictícia perfeita para Rick: Ele queria que as mulheres parassem de persegui-lo e ela queria alguns favores do policial enquanto estava na cidade. Ganho para ambos os lados.

A autora

E, é claro, que a partir daí, vocês conseguem imaginar o que acontece, certo? Chick-lit dificilmente é um gênero imprevisível. Mas isso não é ruim, pois como diz Lisbela, no filme Lisbela e o Prisioneiro, “O importante não é o que acontece. É como acontece”. Os finais podem até serem sempre parecidos, mas o enredo não.

O Bom Partido é bem divertido. Dei bastante risada e fiquei envolvida na história. Claro que fiquei loucamente apaixonada por Rick Chandler. Eu sempre fico! É impressionante. Morro de amores por personagens e fico muito triste quando termino de ler, pois eles vão sair de “perto” de mim. Kendall também ganhou o meu coração. De vez em quando era meio teimosa e cabeça dura, mas qual mulher não é?

Foram deliciosas 280 páginas do melhor estilo mulherzinha. Apesar de ser um livro destinado principalmente ao público feminino, o foco são os personagens masculinos, os Chandlers. Carly Phillips escreve de modo leve, engraçadinho e por vezes bem sensual. Ideal para mulheres jovens e adultas. Me lembra muito o estilo de Marian Keyes, de Casório?! (Aqui), Melancia (Aqui), Sushi e outros.

São três livros sobre Raina e os apaixonantes irmãos Chandler:

1- O Solteirão
2- O Bom Partido
3- O Canalha




Assim que eu ler O Solteirão, venho falar sobre ele para vocês.

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário