sábado, 26 de julho de 2014

Mais um Nicholas Sparks: O Resgate


Já até perdi as contas de quantos livros do Nicholas Sparks li. Tenho alguns deles entre os meus preferidos, como O Diário de Uma Paixão, Um Amor Para Recordar, A Escolha, Um Porto Seguro, A Última Música e assim por diante. Mas tenho lido vários dele que gosto bastante e tudo o mais, que vale a pena ler, mas não tem aquele tchanam que faz entrar nos favoritos de toda a vida. É o caso de O Resgate, escrito em 2000, mas só publicado em português recentemente.


O Resgate, que eu li em parceria com a Livraria Janina, é lindo. Tem alguns momentos de dar o nó na garganta e marejar os olhos. Mas não cheguei a me debulhar em lágrimas como em outros. Acho que o Nicholas Sparks está ficando menos trágico.

O casal da vez é Denise e Taylor. Mas temos um acréscimo na história: O pequeno Kyle. Denise é uma mãe solteira que acabou de se mudar para a pequena cidade de Edenton, na, PASMEM!, Carolina do Norte. Kyle tem quatro anos e algum problema que ninguém consegue descobrir. Ele é atrasado na fala e na comunicação com o mundo. A mãe já tentou todo tipo de diagnósticos, exames e médicos e cada um fala uma coisa: autismo, retardo, problema de processamento, mas ninguém sabe ao certo. Cansada disso tudo, a pequena família se muda para o interior, para uma vida simples, e ela mesma passa a treinar e a ensinar Kyle em casa.

Numa noite de tempestade, Denise e Kyle sofrem um acidente de carro. Denise bate a cabeça, fica desnorteada e, quanto olha para o banco de trás, o filho sumiu. Ela foi socorrida por Taylor, um bombeiro voluntário, que começa uma busca frenética pelo menino.

Nicholas Sparks
Depois de passado o susto, Denise e Taylor começam a se aproximar. Ele acredita que encontrou alguém que o entende, que passou pelas mesmas dificuldades de vida que ele, e ela vê nele um homem que a faz feliz, que cuida dela e, principalmente, é doido por Kyle. 

Mas fantasmas do passado, principalmente dele, assaltam o relacionamento a ponto de fazer o que era perfeito desandar. Mais do que resgatar mãe e filho do acidente e do desaparecimento, quem precisa ser resgatado de si mesmo é Taylor.

A fórmula é a mesma de sempre, mas dá certo. Se bem que dessa vez o foco nem é tanto o casal principal, mas o relacionamento da mãe com o filho. O interessante desse livro é Kyle e a sua doença desconhecida, pois Nicholas Sparks conta que o problema do Kyle era o mesmo do seu filho Ryan. O garoto e os pais passaram pelo terrível processo de ninguém saber o que estava errado e depois resolverem dar um jeito com treinos caseiros, assim como Denise fazia.

Denise é determinada e inteligente. Teve que aprender a se virar sozinha e coloca o filho acima de tudo na sua vida. Taylor é corajoso, mas ao mesmo tempo um bundão (Desculpa a palavra, pai, haha). Com medo de compromisso por um motivo que nem deveria ser levado em conta nesse caso, ele prefere jogar fora a felicidade do que assumir os erros e enfrentar o passado. Mas ainda assim ele é um fofo, doce, do tipo que toda mulher gostaria de ter. Kyle é um docinho de caju que eu quero levar para minha casa, haha. Mas um dos melhores personagens do livro é Mitch, melhor amigo de Taylor.

A leitura de O Resgate é rápida, doce e romântica, como todo livro do autor é, mas dessa vez com um pouco menos de açúcar do tipo “ó, amor meu, luz da minha vida, te quero para sempre”. É um tanto mais realista. Ótimo para tardes para relaxar.

Recomendo.

Quer ler também? Tem aqui na Livraria Janina.

Teca Machado

Um comentário:

  1. Eu realmente preciso ler os livros dele. Até hoje só assisti aos filmes baseados nos livros!
    Amei a dica, Teca! :)
    Beijos,
    Carol
    www.pequenajornalista.com.br

    ResponderExcluir