quinta-feira, 17 de março de 2016

Conhecendo a Meg Cabot – Participação Especial Dramática – Projeto Drama Queen #70


Vocês se lembram de quando a Carol contou no Projeto Drama Queen o dia que conheceu a Sophie Kinsella, uma escritora que ela ama? Hoje a Ana Paula Lima, do blog Entre Chocolates e Músicas, veio contar a sua experiência de conhecer sua autora preferida: a Meg Cabot.

Foi um dos melhores dias da sua vida, mas recheado de muito drama! Afinal, para nós bookaholics, os escritores são tipo nossos rock stars.

Veja abaixo o relato da Ana:

Conhecendo a Meg Cabot


Quando eu era mais nova, minha avó sempre me levava para cima e para baixo e eu confesso que adorava, porque sempre ganhava um gibi da Turma da Mônica. Por causa disso adquiri certo gosto pela leitura. Com o passar do tempo e a chegada da internet e o bate-papo UOL (quem nunca né?), acabei deixando esse gosto de lado e passei a dedicar horas e horas da minha vida tirando fotos para meu finado fotolog. 

Até que em uma conversa com uma amiga, ela disse assim: “olha, eu tenho um livro aqui que você pode gostar” e me trouxe a primeira versão de A Garota Americana de Meg Cabot. 

Eu sempre fui apaixonada por filmes de comédia romântica e sempre quis ser a mocinha. Quando eu li a obra me senti parte daquilo. MEUDEUS como eu queria ser a Samanta e virar heroína por um dia – ou mais. O tempo foi passando e eu voltei a ler mais e mais e vocês precisam saber: eu vicio muito rápido. Todo final de semana minha família e eu íamos ao shopping e era OBRIGATÓRIO passar na Saraiva e comprar pelo menos um livro. Afinal, meu pai odiava a cara de menina mimada que eu fazia por não ganhar nada.

Coleção da Meg Cabot da Ana

Os anos foram se passando e minha admiração pela Meg foi crescendo mais e mais. Pelo menos a cada dois meses eu comprava um livro dela para completar minha coleção. Até que no começo de 2015 surgiu um boato de que ela viria para o Brasil, mais especificamente para a Bahia e eu comecei a me coçar. Era minha OBRIGAÇÃO ir de encontro com a minha DIVA. 

O lado bom da vida é que eu sou de São Paulo e um evento não existe se ele não acontece aqui. Desculpem, mas é a verdade. TUDO sempre acontece aqui. 

No primeiro Mochilão da Galera que ocorreu aqui eu fui, claro, e tive a oportunidade de fazer uma pergunta. Parecia uma louca pedindo o microfone para poder perguntar: A MEG VEM PRA SÃO PAULO?

E o Guilherme – responsável do evento e do Marketing da Galera Record – tirou a minha duvida e me deu a data: 20/10/2015. Essa data já era muito especial, pois cinco anos antes eu fui ao meu primeiro show internacional e conheci de perto o Green Day. 

O grande dia chegou e eu fiquei muito ansiosa, trabalhei em um final de semana para pegar folga no dia e fui! Cheguei 5:30 da manhã e já tinha cerca de 15 pessoas na minha frente. O primeiro estresse foi com a galera que fura fila. É sempre assim, em todos os eventos do mundo. O problema é que eu era o número 19 e acabei virando a 33.

Depois disso, fiquei das 10:30 as 15:00 na Saraiva e naquele dia estava morrendo de cólica. Quando conseguimos entrar, a todo o momento eu ficava olhando pelo vidro do auditório para ver se ela chegava, o pessoal começou com uma teoria de que ela ia passar por uma passagem secreta (????????????????????) para evitar confusão, mas daí eu vi o Guilherme, e ela estava lá. Linda e sorridente, subindo a escada rolante... E eu? Chorei. Mas eu chorei muito, a ponto de soluçar. Na hora que o Gui (íntima) me viu, ele ficou me perguntando o porquê das lagrimas, pediu pra ficar calma, mas eu não conseguia... NUNCA chorei por encontrar um ídolo, mas não conseguia parar (Vídeo do choro aqui).

E quando consegui, era minha vez de falar com ela. Daí voltei com meu drama, o Gui tentou me acalmar, perguntou o que eu queria falar com ela e qual livro teria autógrafo nominal e para eu parar de chorar. Meu amigo Dan, tinha feito uma ilustração para eu dar de presente a ela e, bem, essa foi a reação dela:


Enquanto eu morria de chorar, ela repetia “não chore! Você é uma princesa”. E eu? Chorava mais ainda. 

Depois de pegar os autógrafos, eu reencontrei as amizades que fiz na fila e fomos todas chorando para casa. Meus pais até hoje não entendem o porquê de eu ter ficado tão emocionada ao ver uma pessoa, que para eles, é normal. 

Mas só eu sei o quanto a Meg me influenciou e ajudou com seus livros, a forma como as personagens são sempre desafiadas e se mostram fortes e determinadas me mostra o quão capaz eu posso ser. 

Enfim, esse é considerado um dos melhores dias da minha vida. E foi muito bom compartilhar com vocês.

Vídeo da Meg falando "eu te amo" aqui.


*** 

Ana, fica tranquila que aposto que muita gente choraria ao ver seu ídolo supremo. Acho que eu choraria, haha. Obrigada por ser parte do Projeto Drama Queen!

Gostaram da história dela? Mande o seu relato dramático de algum dia da sua vida e participe! Todas as quintas-feiras tem uma história bem divertida e dramática, às vezes cheia de exagero. O PDQ é uma parceria entre os blogs Casos, Acasos e Livros e Pequena Jornalista.

Beijos,

Teca Machado

13 comentários :

  1. ah, é mt legal essa sensação de conhecer alguem que a gente admira, conhece o trabalho etc; apesar dela ser bem famosa, eu conhecer os livros dela de nome (e de capa) eu nunca li os livros acredita

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Lívia, os livros são uma graça!
      Vale muito a pena ler.
      <3

      Beijooos

      Excluir
  2. eu to chorando aqui junto, gente?
    aheuahueauehaue
    eu choro com tudo, depois que mudei pra SP nao posso ver uma pessoa que eu admiro que ja to em prantos HAHAHAHA <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, somos duas, Luciana, hahaha.
      Eu sou a chorona!

      Beijooos

      Excluir
  3. AIMEUDEUSQUECHIQUEEUSOOOOU!!!!

    HAHAHAHA Adorei o convite <3 <3 <3
    Foi um dia lindo, choroso e maravilhoso! Quero de volta *-*
    Como disse, chorei enquanto relembrava alguns detalhes e choro quando vejo as fotos <3 Foi lindo! É sempre bom ter essa experiencia <3 E eu tenho dramas e mais dramas para contar hahahaha!
    Obrigada mais uma vez pelo convite!!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é chiquérrimaaaaaaaa!
      Eu queria ter estado lá para ver você nesse estado, hahaha.
      :P
      Você é sempre bem vinda para contar todoooooooos os seus dramas, baby.

      Beijooos

      Excluir
  4. Oi, Teca! Tudo bem? Como acompanho o blog da Ana já estava a par desse super encontro dela com a Meg Cabot. Acho que se eu fosse muito fã da Meg Cabot e estivesse no lugar da Ana, também me emocionaria horrores! rsrs

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo viu os posts dramáticos da Ana, né?
      Muito bom!

      Beijoooos

      Excluir
  5. GENTEEE,imagino como deve ser encontrar com alguma personalidade que admiramos! Deve ser muito bom, sério.Eu ainda não tive esse prazer, mas espero profundamente conhecer algumas pessoas que eu admiro o trabalho.

    Beijos

    Poesia em Transe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tããããão bom!
      Eu já encontrei alguns e a experiência foi maravilhosa.
      <3
      Espero que você consiga também.

      Beijooos

      Excluir
  6. Ana, que bom que deu tudo certo!
    Eu ainda não cheguei a ficar assim, até porque quem eu teria um treco para conhecer já morreu. :(
    Mas imagino a emoção. Deve ter sido um dia incrível mesmo.

    Bjs!!

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Realmente, encontrar com pessoas que são inspiração pra gente é muito emocionante. Não dá pra segurar as lágrimas ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir