sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

É previsível, mas divertido! - Procura-se um marido


Antes de mais nada, quer ganhar de Natal um Vale-Presente de R$50 da Livraria Cultura? O post de quarta-feira te explica como. Entre aqui.

Então, semana passada comprei um notebook cor-de-rosa (Coisa MAIS linda do mundo, diga-se de passagem). Esses dias comprei um chaveiro para o meu carro com o porquinho rei do Angry Birds (Gente, super amor!). Essa semana escutei 34 vezes One Thing, do One Direction (E sem vergonha de confessar isso, haha). Além disso, terminei de ler um livro chamado Procura-se um Marido, da autora Carina Rissi. Por essas e outras que o meu pai me pergunta constantemente: “Você um dia vai crescer?”. Bom, crescer eu já cresci. Acho que já sou até adulta. Ou quase. Mas isso não me impede gostar de coisas fofas, gracinhas e um tanto adolescentes, né?

O livro Procura-se um Marido foi um daqueles que eu julguei pela capa, literalmente. Achei o título interessante, a figura bonita, li a sinopse e comprei. E ainda bem que fiz isso, me diverti muito com ele.


A história de Procura-se um Marido é a seguinte: Alícia é quase a Paris Hilton brasileira. Bonita, muito louca, jovem e inconsequente, ela só quer saber de festar e gastar dinheiro. É tão desenfreada que conseguiu até mesmo ser presa em Amsterdã, onde quase tudo é liberado. Como seus pais morreram quando tinha cinco anos, quem a criou foi o avô Narciso, um bizilionário (A palavra é inventada para vocês terem uma noção de como ele é rico) louco pela neta.

Infelizmente, o vô Narciso morre subitamente, deixando Alícia sozinha no mundo. Como ficou preocupado que ela torrasse tudo em questão de poucos meses (O que eu acho difícil, já que ele era bizilionário), coloca no testamento uma cláusula que diz que a neta só vai ter direito à herança depois que se acalmar, casar e estar com o marido há pelo menos um ano. Alícia fica louca de raiva e, obviamente, procura um marido de aluguel para logo após o período probatório chegar ao fim pedir divórcio. E ela encontra o lindamente lindo Max.

Essa é a autora, Carina Rissi.

Claro que o livro é extremamente previsível. Alguém mais aí tem dúvida de que eles vão se apaixonar loucamente? Mas, é como eu já disse antes, o importante não é o que vai acontecer, mas como vai acontecer. E em Procura-se um Marido acontece de forma inteligente e engraçada. Eu ri bastante madrugadas adentro. Preciso falar que por quatro dias eu dormi super tarde porque não conseguia largar o livro?

Os personagens, principalmente Alícia e Max, são muito bem construídos. Ela passa por um amadurecimento plausível (Apesar de muitas situações um tanto não plausíveis) e você vê como e porque ela cresce e “fica adulta”.

Carina Rissi é muito boa. É o tipo de literatura que eu mais gosto. E, quando vejo livros como esse e o Como Quase Namorei o Robert Pattison, da Carol Sabar (Comentei aqui), fico feliz porque vejo que há mercado e editoras para autoras brasileiras que escrevem o chick lit (Literatura de menina). Ou seja, tenho espaço para realizar o meu sonho de ser escritora (E, por falar nisso, já tenho 100 páginas do meu futuro livro, YES!).

Recomendo.

Teca Machado

3 comentários:

  1. Para quê encarar o mundo de frente se a poesia está no verso? ( frase do livro Desaforismos de Georges Najjar Jr )

    ResponderExcluir
  2. Oi, Teca!! Que delícia de resenha!! Amei D+ ! Muito obrigada pelo carinho, lindona!!!

    Beijoooos

    Carina Rissi

    Ps. Sucesso com seu livro!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carina!

      Nossa, fiquei MUITO feliz com o seu comentário aqui.
      Obrigada!
      Sou apaixonada pelo Max. Você não conhece algum desse tipo de verdade para me apresentar? Haha.

      Agora eu quero ler Perdida, que ouvi dizer que é muito bom também!

      Tudo de bom e muitos livros pela frente!

      Beijos

      Excluir