quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Quem é Você, Alasca? – John Green, esse lindo, nos surpreendendo de novo


Resenha de livro recebido em parceria com a Livraria Janina.

John Green está definitivamente na minha categoria de “autores amados que eu leio livros sem nem precisar saber a sinopse” (Junto com ele estão Harlan Coben, Nicholas Sparks e Rick Riordan, formando meu quarteto fantástico). Dele eu já comentei A Culpa é das Estrelas (Aqui e tem o trailer do filme aqui), um dos meus livros preferidos DA VIDA, O Teorema de Katherine (Aqui) e Cidades de Papel (Aqui). Hoje apresento para vocês Quem é Você, Alasca?, que na verdade é o primeiro livro que John Green escreveu.


Na obra conhecemos Miles “Gordo” Halter. Um adolescente magricelo, alto, sem muito traquejo social, que é apaixonado por biografias e por últimas palavras famosas. Quando lê a frase final da vida do poeta François Rabelais, “Saio em busca de um Grande Talvez”, percebe que na sua vidinha comum e sem graça na Flórida dificilmente vai encontrar aventuras ou o tal do Grande Talvez. Tendo isso em mente, ele resolve que é hora de mudar: Vai para Culver Creek, uma escola interna no Alabama.

Seu colega de quarto é Chip, mais conhecido como Coronel, uma espécie de ditadorzinho de 1,5 metro que tem o coração do tamanho do mundo quando o assunto são os amigos e a sua mãe. Ele apresenta para Miles a Alasca Young, uma menina temperamental, louca, impulsiva e apaixonante. A amizade entre os três só cresce e, é claro, Miles fica maluco por Alasca, que é meio bipolar e adora pregar trotes nos Guerreiros do Dia da Semana, como são chamados os riquinhos de Culver Creek.

Edição com a capa preta

O livro desperta muitas emoções, é uma espécie de montanha-russa. Fala sobre o primeiro amor e a primeira amizade, impulsividade jovem, sexualidade, aproveitar a vida e mesmo temas mais pesados e sombrios como a iminência da morte e o que vem depois dela.

Sinceramente, Quem é Você, Alasca? demora um pouco para engrenar, mas depois fica bem bom. O seu início é meio devagar e o livro é lento para mostrar para que veio. Ele é dividido em dois atos: o antes e o depois. No antes há toda a leveza que a juventude tem que ter, e o depois mostra a força do amadurecimento precoce, na marra. Definitivamente me surpreendeu. A leitura é fluida e bem rapidinha. Eu terminei com menos de dois dias. Típico texto do John Green.

Miles é divertido, meio autodepreciativo e com a cabeça bastante no lugar. Apesar de ser apaixonado por Alasca, ele sabe enxergar e odiar os defeitos dela. Coronel é, de longe, meu personagem preferido. É o tipo de coadjuvante que ganha o coração do leitor fácil, fácil. Já sobre a Alasca ainda não consegui me decidir. Ela me irritou profundamente, tipo a Margot Roth Spiegelman, de Cidades de Papel. Como Miles e o Coronel diziam constantemente, Alasca é uma vaca egoísta. Mas depois o leitor vai entendendo os seus motivos para ser assim. Não é uma desculpa, é apenas uma explicação. A gente gosta e não gosta dela. Mas ninguém pode negar que ela é no mínimo divertida.

Uma foto diferente do John Green porque eu enjoei da antiga. E essa está bem brasileira, então gostei.

A minha capa é a que tem o rosto da Alasca de lado. E eu, na verdade, prefiro essa. É mais bonita, chama mais a atenção e bem mais comercial. Mas depois que você lê, entende o significado da capa preta com a florzinha desenhada. Passa a fazer todo o sentido do mundo. E depois que terminei a leitura passei a gostar dela também.

John Green, mais uma vez, nos faz sentir emoções fortes em Quem é Você, Alasca? e nos presenteia com mais um livro muito bom. Eu já falei que amo o autor quantas vezes essa semana? Umas 48?

Recomendo.

Quer comprar? Veja aqui no site da Janina.

Teca Machado

3 comentários:

  1. oi teca,
    eu gostei mais da capa preta justamente porque ela casa muito bem com o livro no final!
    Eu concordo com você porque no que diz respeito a Alasca, ela pode ter uma justificativa, mas é chata igual a Margo (falei isso na minha resenha também). Coronel também acabou sendo meu personagem preferido ><
    adorei sua resenha
    bjinhus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dudi, a capa super casa com o final, mas não sei se eu compraria esse livro pela capa (Compraria pelo nome do autor, é óbvio. John Green amor!).
      Eu falo que a gente é gêmea literária! Hahaha.
      Beijooooo
      ;)

      Excluir
  2. <3 Gostei muito do seu post parabéns!!
    E o John Green é um amor...

    ResponderExcluir