sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

" Put our dreams through the shredder"

Sempre nos disseram que a vida adulta era difícil, que crescer doía, que amadurecer era um processo lento e cruel. Mas nunca entendemos a dimensão disso tudo até que a realidade nos dá um tapa na cara, nos sacode pelos ombros e diz “Acorda, meu bem. Cheguei fazendo estrago e você é quem tem que consertar!”. É, não é nada fácil.


Não sei se houve algum catalisador, se foi o processo natural da vida, se percebi a quantidade assustadora de cabelos brancos que tenho ou se foi a proximidade dos 25 anos (Gente, está chegando o meu aniversário!), mas ultimamente tenho pensado muito no futuro. E fico ansiosa em relação a ele.

Para mim é muito complicado aceitar que a vida não é igual a filmes ou livros (Jura que eu só descobri isso hoje?). As coisas não se resolvem rápido e magicamente. E na maioria das vezes nem do jeito que a gente quer.

Então, alguns sonhos nós temos que “arquivar” ou mesmo colocar em stand by. E isso é o que mais me dói, pois eu sou apegada a sonhos, memórias, sentimentos e lembranças.


Aprendi (Para o meu desespero) que nem todos os meus desejos dependem do meu esforço ou da minha vontade para serem concretizados. Isso é o que me enlouquece, já que eu sou persistente (Uma palavra mais bonita para teimosa ou control freak) e gosto de resolver tudo rápido. Não sou do tipo que senta, cruzas as pernas e diz “Pronto, agora é só esperar que tudo se resolve sozinho”. Só que de vez em quando é exatamente isso que é necessário, como o momento que eu vivo agora. Acho que vem daí a minha ansiedade, de não poder fazer nada.

Domingo na igreja ouvi um sermão que parece que foi dito especialmente para mim. Era sobre ansiedade e como isso afeta negativamente a nossa vida. O segredo é colocar nas mãos de Deus e falar: “Pai, toma! Minha vida é toda sua e o Senhor sabe o que é melhor para mim. Só me ajude a ter paciência e aceitar o que vier”. Porque nem sempre o que vem era bem o que tínhamos em mente...

A música Here’s To Us, que coloquei aqui, fala bem sobre tudo isso. É uma reflexão sobre a vida que não saiu bem como esperávamos, mas tudo bem, é o que nos levou a sermos quem somos, então um brinde a isso. Gosto muito desses versos:

“Stuck it out this far together / Chegamos tão longe juntos
Put our dreams through the shredder / Colocamos nossos sonhos numa máquina de picotar papel
Let's toast cause things got better / Vamos brindar porque as coisas melhoraram
And everything could change like that / E tudo pode mudar assim
And all these years go by so fast / E todos esses anos passaram tão rápido
But nothing lasts forever / Mas nada dura para sempre

Here's to all that we kissed / Um brinde a todos que nós beijamos
And to all that we missed / E a todos que nós perdemos
To the biggest mistakes / Aos maiores erros
That we just wouldn't trade / Que não trocaríamos de qualquer modo
To us breaking up / A nós terminando
Without us breaking down / Sem nos acabar
To whatever's come our way / A qualquer coisa que apareça no nosso caminho”

Apesar de a realidade bater a porta, eu acredito que cedo ou tarde tudo vai dar certo. Só tenho que aprender a esperar. E a esperar o que vier, não o que eu quero.

Teca Machado

2 comentários:

  1. Teca querida, não sabia do seu blog! Estava procurando outros blogueiros que falam de livros em Cbá e Joilson me mandou o link do seu blog! que bacana seu textos >.<
    E eu adorei a música, e vi várias outras postagens suas e estou adorando! amei seu trabalho! bjinhus
    Dudi

    - TÍTULOS DE LIVROS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dudi!
      Fico feliz que vc esteja gostando. Faço o blog com td o amor do mundo, então é bom saber que tem gente gostando.
      Eu amo essa música: letra, melodia, tudo. Define bem tudo, né? Até vi que você colocou a letra no seu Facebook.
      Quando quiser dar sugestão de tema para o blog, fica a vontade.
      ;**

      Excluir