terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Uma carta para 2013


Oi, 2013!

Muita gente duvidou que você viesse, mas o mundo não acabou, então você chegou. Seja bem-vindo!

Tenho algumas expectativas em relação a você, mas, não se preocupe, não é nada muito complicado ou específico. Só o de sempre mesmo: Ser feliz.


Antes mesmo de começar direito, eu já gosto de você. Acho que o motivo é você ser 13 e eu gosto do número 13. Não porque acredite em numerologia ou algo do tipo, mas porque 13 é o dia que eu nasci, então tenho um carinho especial. 

Por falar nisso, gosto de você também porque é o ano que eu faço 25 anos. Não que eu queira ficar velha ou adulta, mas acho 25 tão simbólico, tão redondo. É um marco, um quarto de século. Parece até que foi uma etapa concluída. Vou ter que celebrar (Como se eu precisasse de uma desculpa para fazer festas)!

2013, espero que você seja tranquilo, mas com bastante emoção. Emoções boas de preferência. Só que, de vez em quando, pode colocar uma pitadinha de algo ruim, pois é com esses momentos que a gente aprende, cresce e evolui, não é? Mas, por favor, não exagere na dose, é só para temperar mesmo.


Não te quero monótono ou sem fatos marcantes. Quero que você seja ótimo o suficiente para ser lembrado. Para que em 2023, 2033, 2043, eu pare e pense: “Nossa, 2013 foi mesmo um ano sensacional!”.

Seu irmão mais velho, o 2012, foi ótimo, quase sem tirar e nem pôr. Mas eu te desafio, 2013. Desafio a superá-lo, a ser melhor, a ser ainda mais lindo. Se era um pouco de competição que você precisava para ser incentivado, cá estou eu fazendo isso. Duvido que você consiga.

Como te disse lá em cima na carta, quero muito ser feliz durante a sua gestão. Muito mesmo. Eu já sou bastante, mas é sempre bom mais, né? Acho que felicidade nunca é demais. Além disso, se eu tiver um monte, posso dividir com os outros, o que deixa o seu trabalho mais fácil.


Com você, 2013, quero sorrir, dançar, gritar, abraçar, beijar, cantar, ter saúde, ir para a praia, conhecer partes novas do mundo, ter sucesso, ter paz de espírito, ter alegria, ter felicidade, ter sapatos e bolsas, ir a shows, ir a teatros e, principalmente, ter amor de todos os lados possíveis e imagináveis. E também, se você puder me dar um pouco de dinheiro, não vou reclamar.

Sei que você não é o Papai Noel, mas fiz uma lista de desejos mesmo assim. Vai que você me atende, né?

Um beijo. E seja lindo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário