sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Quando em Roma... fique com o Josh Duhamel!


Uma coisa é fato: Josh Duhamel (de Transformers e marido da Fergie, do Black Eyed Peas) é um dos homens mais lindos do mundo. Toda vez que ele aparece na tela, me desmancho em suspiros. Então, quando há uns tempos fui à locadora (Ainda sou dessas) e vi a capa do filme Quando em Roma, que é com ele, gostei. Li a sinopse, gostei mais ainda. Mesmo sem ter assistido o trailer ou lido crítica, aluguei. O pior que podia acontecer era ser ruim e eu ter desperdiçado R$5 e uma hora e meia da minha vida para vendo um cara bem gostoso lindo. Sorte que eu fiz isso, porque o filme é uma graça!


Quando em Roma conta a história de Beth (Kristen Bell, loirinha, bonitinha, típica de comédia romântica), uma workaholic curadora do museu Guggenheim, em Nova York. Mais preocupada com a vida profissional do que com a pessoal, nem pensa no amor. Até que a sua irmã mais nova conhece um italiano e num relacionamento relâmpago resolve se casar em Roma. 

Padrinhos no casamento da irmã de Beth

Beth vai até o casamento e lá conhece Nick (Josh Duhamel), um dos padrinhos que é americano e mora em NY. Encantada pelo homem, ela se decepciona quando o vê beijando outra mulher (O típico mal entendido de filmes do tipo). Meio bêbada e desiludida do amor, vai até a Fontana d’Amore brigar com a estátua de Afrodite que tem lá. Diz a lenda que aqueles que jogam uma moeda ali, encontram o amor. Beth, brava e mal-humorada, entra na água e começa a catar algumas das moedas e as leva com ela para os EUA.

Beth coletando moedinhas a fonte

O problema é que todos os homens que jogaram as moedas que Beth pegou magicamente se apaixonam por ela e vão para NY atrás da garota. E aí é que começa a ficar engraçado, pois todos eles são sem noção e caricatos. Will Arnett é um pintor fanático, Jon Heder um mágico horrível, Dax Shepard um modelo narcisista e Danny DeVito um empresário vendedor de embutidos. Fora essas quatro “figuras”, Josh Duhamel também está apaixonado e fica atrás dela.

Os homens de Beth

Situações absurdas e engraçadas são criadas pelo diretor Mark Steven Johnson quando os homens estão atrás da protagonista. Fora os acidentes que acontecem com o desastrado Nick o filme todo. Eu dei bastante risada.

Apesar da história um tanto diferente das comédias românticas comuns, Quando em Roma não foge de certos clichês do gênero. Mas isso não é problema. Quem assiste comédias românticas está a procura disso, não é verdade? Final feliz, frases feitas bonitas e um casal que vence as dificuldades, tudo isso misturado com humor.

Josh, seu lindo!

Super amor, Quando em Roma é aquele tipo de filme leve e charmoso aconselhável para um dia chuvoso ou um dia em que você está com a mente cansada.

Recomendo.

Teca Machado

Um comentário:

  1. Só para complementar: a Fontana D'Amore é fictícia, ela não existe. Foi uma criação do roteirista.

    O que existe de verdade é a Fontana de Trevi, onde reza a lenda que, se você jogar uma moeda um dia voltará a Roma.
    Estive lá ano passado e vi uma multidão jogando dinheiro na fonte. Acho que no fim do dia o pessoal da manutenção deve recolher uma fortuna.

    ResponderExcluir