terça-feira, 9 de abril de 2013

Conde Drácula como anfitrião


Minha irmã viajou com o marido e deixou duas “coisinhas” de dois e quatro anos na minha casa. Ou seja, a tia e os avós viraram babás. E como parte do meu ofício de babá, tenho visto muitos desenhos, principalmente os de princesas e da Tinker Bell (Não que eu esteja achado ruim, mas enfim...). Semana passada assisti A Origem dos Guardiões (Que eu adorei e comentei aqui) e agora assisti Hotel Transilvânia, que eu também adorei.


Conde Drácula é um viúvo que cuida sozinho da filhinha vampira Mavis. Com um pai superprotetor que impede a todo o custo que a filha visite o mundo, ela é a típica adolescente rebelde que quer sair da bolha em que vive. 

Como todos os monstros do planeta têm medo de humanos, Conde Drácula constrói um hotel na Transilvânia exclusivo para seres como múmias, Frankenstein, lobisomens, gelecas, gremlins e outros. Afastado de aldeias e cidades, o hotel é cercado por cemitérios sinistros, fossos, florestas mal-assombradas e outras armadilhas. Mas isso não impede que Jonathan, um garoto muito doidão e mochileiro, encontre o lugar sem querer.

Mavis e o Conde Drácula

E o humano chega justo na festa de 118 anos de Mavis, quando todos os monstros amigos de Conde Drácula estão no local para festejar. Não querendo que seus convidados fiquem com medo de Jonathan e sem conseguir expulsar o rapaz, que se apaixonou por Mavis, Conde Drácula fantasia o jovem de “primo do braço direito de Frankenstein”.

Com a desculpa de que vai ajudar o Conde Drácula a organizar a festa, Jonathan atrapalha todos os planos do vampiro, o que o deixa tiririca da vida e deixa Mavis cada vez mais apaixonada.

Jonathan, o humano

Hotel Transilvânia é dirigido por Genndy Tartakovsky, de O Laboratório de Dexter. No inglês, as vozes são de vários famosos. Conde Drácula é Adam Sandler (Que me irrita, então nesse caso acho que foi bom ter visto dublado), Jonathan é Andy Samberg, Mavis é Selena Gomez. Entre os outros personagens estão Kevin James (De Hitch), Steve Buscemi (De Boardwalk Empire), Fran Drescher (De The Nanny), David Spade (De Gente Grande), CeeLo Green (Cantor) e muitos outros. Mas não achei ruim assistir dublado porque as vozes têm sotaques de várias partes do país. Têm paulistas, gaúchos, mineiros, cariocas, o que dá uma boa mistura.

Jonathan como primo do braço direito do Frankentein e Mavis, a vampirinha

O desenho é engraçado. Dei bastante risada. As piadas são rápidas, num ritmo quase frenético, bem no estilo Adam Sandler mesmo (Que é o produtor do filme). Se você não prestar atenção, é capaz de perder algum trocadilho bem divertido. Mas uma das melhores partes é quando eles gozam o Crepúsculo, mesmo que bem rapidamente.

Hotel Transilvânia é tanto para crianças quanto para adultos. Lá em casa as minhas sobrinhas amaram e eu e os meus pais também. Mas vi muitas críticas na internet falando que ele é mais para os pequenos. Talvez eu tenha um espírito infantil (Não que isso me admire, porque adolescente eu tenho certeza que o meu é).

Os monstros que tem medo de humanos

Independente disso, acho que Hotel Transilvânia é diversão para qualquer idade. Por mais de criança que seja, é leve, espirituoso e bem humorado. Quem não gosta de filmes assim?

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário