sexta-feira, 19 de julho de 2013

"We are infinite” – As Vantagens de Ser Invisível

Antes de qualquer coisa, tenho algo para contar para vocês: Ontem o blog alcançou 50 mil acessos! Uhuuuuuul! Obrigada a vocês que sempre (Ou de vez em quando) passam por aqui, comentam e me dão feedback, sugestões ou mesmo puxões de orelha. O que seria do Casos Acasos e Livros sem vocês? Vocês são uns lindos.

Agora o tema do post de hoje: As Vantagens de Ser Invisível.


Já tinha visto o trailer e lido matérias e críticas, tanto sobre o livro quanto sobre o filme. Fiquei morrendo de vontade de assistir. Então, ouvi muita gente próxima de mim falando que era maravilhoso, sensacional e de fazer pensar. Me disseram que eu provavelmente gostaria muito. E estavam certos. Eu adorei.

Charlie e Sam

As Vantagens de Ser Invisível foi inspirado no livro homônimo de Stephen Chbosky, que é diretor, roteirista e autor. E ele ser o “dono” da história fez com que o filme ficasse tão bom, pois ninguém cuida melhor dos seus personagens do que o próprio inventor deles. Então, no filme, eles são muito mais vivos, reais e profundos do que seriam se outro diretor ou roteirista estivesse encarregado do longa.

Patrick e Sam

O enredo trata de um tema clichê no cinema e na literatura: A adolescência. Mas o faz de maneira diferente e sem o humor “besteirol” com que é retratado por 95% das obras. As Vantagens de Ser Invisível passa em um tempo não especificado (Mas dá a entender que é final dos anos 1980, início dos anos 1990). É narrado por Charlie (O gracinha do Logan Lerman, de Percy Jackson – Adoro!), um garoto de 15 anos que acabou de entrar no ensino médio, o tão temido High School americano. Para piorar, ele é altamente depressivo, problemático e o seu único amigo se suicidou no verão anterior. Sem conseguir se adaptar, tudo o que ele mais quer é passar pelos dias de colégio no anonimato.

Charlie, o depressivo

Até que conhece Patrick (Ezra Miller, de Precisamos Falar Sobre o Kevin) e Sam (Emma Watson, de Harry Potter), dois veteranos malucos que fazem parte de um grupo nada popular, longe das “abelha-rainhas” e jogadores de futebol americano. Em pouquíssimo tempo, Charlie se torna altamente dependente da amizade deles e a sua vida se torna muito mais interessante.

O Falcão e a Vadia, como eles se autodenominam

As Vantagens de Ser Invisível é um filme que trata de amizade, esperança, família, relacionamentos platônicos, passado constrangedor, sensibilidade, sexualidade, psicológico e descoberta da fase adulta. É um período da vida meio tenso e o diretor soube retratar isso com maestria, apesar da sua pouca ou nenhuma experiência em direção.

Anjos de neve

Ponto alto do filme: Elenco. Logan Lerman mostrou que não é só um rostinho bonito de filmes de ação. Ele soube carregar toda a carga dramática do enredo nas suas costas. Nos momentos em que ele está em crise, sua atuação fica ainda melhor. Tem potencial para virar um grande nome do cinema se for bem aproveitado. Ezra Miller é outra boa surpresa. Seu personagem tinha tudo para ser caricato, mas o rapaz soube deixar natural. Sua alegria quase exagerada é um contraponto à tristeza de Logan. E Emma Watson se mostrou versátil. Provou que nem ao menos lembramos de Hermione ao olhar para ela. Seus trejeitos, seu sotaque, seu tom de voz, sua personalidade. Tudo isso mostra como a atriz não será lembrada apenas por estar em Harry Potter.

Elenco excepcional

Ponto altíssimo do filme: Trilha sonora. Eu adoro os anos 1980, então, ouvir as músicas da década tocadas lá, num longa onde a música é quase um personagem, é uma delícia. A cena do túnel, quando toca Heroes, de David Bowie, ao fundo com certeza vai se tornar um clássico.

Com frases marcantes como “Nós somos infinito” e “Nós aceitamos o amor que pensamos merecer”, As Vantagens de Ser Invisível é um filme daqueles que ficam na memória. Agora quero ler o livro, claro.

Cena do túnel com Heroes tocando no fundo

Recomendo.

Teca Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário